Jornalista, escritor, editor, consultor empresarial e cultural.

 

 

 
INTERNAUTA,
ATUALIZE ESTA PÁGINA CLICANDO NO ÍCONE 
LOCALIZADO NO ALTO À ESQUERDA DA BARRA DE ENDEREÇOS
OU NA TECLA F5 DO SEU COMPUTADOR.

 

 

 

Na Cultura

todo investimento é lucro.

 

Para você e

 para o País.

 

 

ATIVIDADES PROFISSIONAIS

 

Trabalhos publicados,

  Consultoria Cultural e Empresarial, Planejamento,

Criação, Crítica, Administração e Realização

nas áreas da Cultura, Política,

Direito e da Comunicação Social

 

 

 

VIDA PROFISSIONAL DE MARCELO CÂMARA

 

Jornalista Profissional                      

Reg. Prof. DRT-RJ 12.531 (1976)                           

A partir de 1973

 

Consultor Empresarial e Cultural

Profissional Liberal Autônomo

Inscr. INSS 1004071859

A partir de 1970

                                                                                  

Servidor Público Estadual                  

do Poder Judiciário                                                  

do Estado do Rio de Janeiro                                 

1970-1977

 

Servidor Público Federal

Poder Executivo

Poder Legislativo

1977-2000

                   

 

OBS. Aqui não são listadas as atividades que exerceu como Secretário de Juízo de Terceira Entrância (Escrivão de Justiça/Chefe de Cartório de Vara), do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, cargo e função conquistados por Concurso Público (1970-7); de Assessor dos Secretários de Estado: de Serviços Sociais (1971) do RJ, e do Interior e Justiça do RJ (1971-5); e de Assessor do Desembargador Corregedor do Tribunal de Justiça do RJ (1975-6); e os textos e trabalhos de natureza institucional-e administrativa como Assessor do Presidente do Tribunal Regional Eleitoral – TRE-RJ (1993-7)

 

 

Principais obras publicadas

 

Livros

 

 

  • O Verbo e a Lira (Mais Histórias / Mauad, Rio, 2021-2)

      Poesia. Reúne 42 poemas escritos entre 1966 e 1989.

     (Também em e-book)

    Apresentação do poeta, ensaísta e professor Jayro José Xavier.

    Capa e Projeto Gráfico de Marcela Petersen.​​​​​

O Verbo e a Lira capa em celular....jpeg

(Ilustrações da Editora)

 

  • Câmara Torres – uma Biografia   (Livro digital - Ed. do autor, Rio, 1.ed 2020, 2. ed. 2021, 3. ed. 2022).

      Acesso: camaratorresvidaeobra.blogspot.com

     A vida e a obra do jornalista, escritor, educador, advogado e político José Augusto da CÂMARA TORRES

      (*Caicó, RN, 22.6.1917 –†Niterói, RJ, 22.8.1998).

CT 1960 no Patrício.jpg

Marcelo Câmara trabalhou por dez anos para concluir o livro digital

Câmara Torres - Uma biografia, obra com 28 capítulos.

Na foto, o Deputado Estadual, em 1960, a bordo da lancha Patrício,

no cais de Paraty, quando desembarcava para as comemorações

do Tricentenário da Villa de Nossa Senhora dos Remédios de Paraty.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

  • Ficha de Degustação de Cachaças Marcelo Câmara (Mauad, Rio, 2018).

      Editora: Isabel Mauad.

      Capa e Projeto Gráfico de Marcela Petersen.

      Primeira e única obra dessa natureza existente na bibliografia sobre o destilado brasileiro.

      (Também em e-book)   

      Lançado, a 26.4.2018, na Casa do Choro, Rio de Janeiro, RJ, com o grande show Choros Alambicanos, no Auditório Radamés Gnatalli,

      quando foram apresentados, em primeira audição de vários choros, inspirados na Cachaça,

      de autoria do músico e arranjador Maurício Carrilho, que produziu. dirigiu e apresentou o espetáculo, à frente de exímios instrumentistas.

Ficha livro capa.jpg

A Ficha, lançada em 2018, é a única do gênero existente no mundo.

Por isso, o nome do autor, Marcelo Cãmara, está no título do livro. 

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

Convite lançamento livros MC 26.4.18.jpg

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Cachaça – Prazer Brasileiro – Sociologia, Antropologia, Economia, História; Cultura Brasileira, Cultura Popular e      Folclore – a Cachaça na Sociedade Brasileira (Mauad, 2ª ed., revista e atualizada, 

     “Uma nova obra” em relação à 1ª ed. Rio, 2018).  Editora: Isabel Mauad.

      (Também em e-book)

      Lançado, a 26.4.2018, na Casa do Choro, Rio de Janeiro, RJ, com o grande show Choros Alambicanos, no Auditório Radamés Gnatalli,

      quando houve a primeira audição de vários choros, inspirados na Cachaça, de autoria do músico e arranjador Maurício Carrilho,

      que produziu. dirigiu e apresentou o espetáculo, à frente de exímios instrumentistas.

Capa Cachaça Prazer Brasileiro 2ª ed e marcador 2004.jpg.png

                                                                      Capa da 2ª edição                                                                Marcador da 1ª edição

                                                                                                                      (Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

  • Cachaças bebendo e aprendendo – guia prático de degustação / Drinking and learning – Practical guide to              tasting  (Mauad, Rio, 2006)  Editora: Isabel Mauad.

     Capa e Projeto Gráfico: Marcela Petersen.

     Também em e-book e no suporte audiolivro (audiobook, Livro Sonoro, São Paulo, SP, 2009.)

      Apoio Cultural ao livro impresso e ao e-book: Cachaça Samanaú, Caicó, RN.

      Apoio Cultural ao audiolivro ou audiobook: Cachaça Augusta, marca de propriedade de Carlos Tadeu de Souza Lima,

      produzida pelo Engenho São Luiz, Lençois Paulista, SP,

      a primeira Cachaça de Excelência Sensorial exportada para os EUA)

      Livro lançado, a 13.12.2006, no Restaurante Aurora, em Botafogo, Rio de Janeiro, RJ,

      seguido de Noite de Autógrafos, a 30.3.2007, na Livraria Siciliano, no Natal Shopping, em Natal, RN.

Convite livro degust.jpg

                                      Convite para o lançamento do livro.

                                                             (Acervo Marcelo Câmara)

Cachaças bebendo... cartão e marcador.png

                                                                                            Cartão de divulgação da obra                                                                                           Marcador

                                                                                                                                                                       

                                                                                                                                                                        (Acervo Marcelo Câmara)

Cachaça bebendo... audiobook capa DVD.jpg

Audiobook, um livro para ouvir,

DVD de três horas de duração,

com narração de Cristina Jardim.

Produção e direção: Lucas Britsky

   (Acervo Marcelo Câmara)                                                                                          

                                                                                                                                                                                                         

                                                                                                                                                                                                        

 

  • Cachaça – Prazer Brasileiro– Sociologia, Antropologia, Economia, História; Cultura Brasileira,

     Cultura Popular e Folclore – a Cachaça na Sociedade Brasileira (Mauad, 1ª ed., Rio, 2004).

      Editora: Isabel Mauad.

     Esgotado.

      Lançado, a 9.7.2004, no Empório da Cachaça, no Centro Histórico de Paraty. A19.8.2004, na Livraria Travessa, em Ipanema,

      ocorreu o lançamento no Rio. O evento contou com a presença de dezenas de personalidades da Cultura,

      que foram prestigiar o autor. Entre elas, o poeta e jornalista Gerardo Mello Mourão e a cantora e musicista Vanda Sá.

      Dias depois, foi realizada uma Noite de Autógrafos na Garapa Doida, no Leblon, primeira loja de Cachaças da cidade do Rio de Janeiro. 

 

Convite Cachaça Prazer Rio.jpg

Convite para o lançamento carioca de Cachaça Prazer Brasileiro.

__________________________________________________________________________________________________

O lançamento nacional da 1ª edição do primeiro livro de Marcelo Câmara sobre a Cachaça

aconteceu no Centro Histórico de Paraty, RJ, a 9 de julho de 2004, com a presença da editora Isabel Mauad

e o apoio cultural das duas melhores pingas do mundo: a Coqueiro e a Corisco, ambas da "Terra da Cachaça",

sendo servida a primeira, sem restrições. O lançamento carioca aconteceu em Ipanema, a 19 de agosto,

com o mesmo apoio cultural, servidas ambas as pingas e bota-gostos variados.

A 25, houve uma Noite de Autógrafos, também no Rio, no bairro carioca do Leblon, onde se degustou a Corisco.

(Acervo Marcelo Câmara)

Copinhos lançam 1ª ed. Cach Prazer 2004.jpg

Mais de quinhentas pessoas foram ao lançamento da primeira edição de Cachaça - Prazer Brasileiro no Empório da Cachaça, em Paraty.

O produtor da Coqueiro, Eduardo Mello, colocou um barril de cem litros da Cachaça na porta da loja na Rua Samuel Costa,

no Centro Histórico da cidade, que ficou repleta de convidados. Cerca de sessenta litros foram bebidos

no copinho comemorativo do evento, em menos de três horas.

(Foto e Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Caminhos cruzados – a vida e a música de Newton Mendonça.

     Biografia. Livro I: A vida, a música e o tempo de Newton Mendonça  (Mauad, Rio, 2001)

       Prefácio de Roberto Menescal

      Editora: Isabel Mauad.

       (Também em e-book)

       Lançado, a 15.5.2001, na Livraria Travessa (Travessinha), em Ipanema, Rio de Janeiro, RJ.

Caminhos Cruzados capa e folha rosto Livro I.png

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Ipanema de A a Z – Dicionário da vida ipanemense, com Mário Peixoto  (AACohen / Ilha Verde, Rio, 1999).

    História e Sociologia.

    Capa e Projeto Gráfico: Marco Antônio de Luca

     Esgotado, (Vendido em www.estantevirtual.com.br)

      Lançado, a 22.11.1999, na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, Rio de Janeiro, RJ, presentes no evento: o músico e compositor Carlos                Lyra e sua mulher, Kate; a escritora Marina Colassanti; a administradora cultural Lygia Marina de Moraes,

      musa da música Lígia, de Tom Jobim; e a editora musical Ana Jobim, viúva do compositor.

      Dias depois, houve uma Noite de Autógrafos na Livraria Mar de Histórias, em Copacabana, na mesma cidade.

Ipanema de A a Z capa folha rosto 4ª capa 4 fotos.png

Capa, folha de rosto e 4ª capa do livro de Marcelo Câmara e Mário Peixoto, Ipanema de A a Z - Dicionário da vida ipanemense,

uma edição conjunta, de 1999, da AACohen e da Ilha Verde, a mais importante obra sobre a História, a realidade social e cultural do bairro carioca.

(Acervo Marcelo Câmara)

MC e Mário Peixoto 1999.png

Mário Peixoto e Marcelo Câmara autografam em novembro de 1999, em Ipanema,

 na Casa de Cultura Laura Alvim, o livro Ipanema de A a Z - Dicionário da vida ipanemense,

obra única no gênero - História, Sociologia, Artes, Cotidiano -

construída, a quatro mãos, pelos dois amigos jornalistas.

(Acervo Marcelo Câmara)

Marina Colassanti e Lígia no lançamento Ipanema... 11.99.jpg

Marina Colassanti, à esq., e Lígia Marina de Moraes se divertem no lançamento

de Ipanema de A a Z - Dicionário da vida ipanemense. Colassanti, personagem do livro,

na década de 1960, foi a primeira mulher a ir e voltar, a nado,

da Praia do Arpoador à Laje de Santo Antônio.

(Acervo Marcelo Câmara)

Carlos Lyra e Kate no lançam Ipanema... 11.99.jpg

Carlos e Kate Lyra foram abraçar Mário Peixoto e Marcelo Câmara

e celebrar o lançamento do Dicionário da vida ipanemense.

(Acervo Marcelo Câmara)

Kabinha 1999.jpg

Kabinha -  Isnaldo Khrochatt de Sá Rodrigues -

considerado "o maior amigo de Tom Jobim", foi ao lançamento

na Casa de Cultura Laura Alvim prestigiar os outros amigos

de Ipanema, Marcelo Câmara e Mário Peixoto.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

Eduardo Hermanny e Roberto Braga 1999.jpg

O embaixador Eduardo  Hermanny e o escritor e poeta Roberto Braga,

filho de Rubem Braga, amigos de Marcelo Câmara.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

Otto Dumovich e Magda Botafogo.jpg

O escultor Otto Dumovich e a produtora musical Magda Botafogo.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

  • Crítica à Cultura Brasileira – uma reflexão sobre manifestações e universos culturais na sociedade brasileira           Sociologia e Culturologia.

     (1ª ed., 1986; 2ª ed., idem, Coronário, Brasília, DF.)

     Editor: Alarico Verano.

      Fotos da capa 1ª ed. e 4ª capas da 1ª e 2ª ed: Roosevelt Pinheiro

      Capa 2ª ed.: Elmano Rodrigues

      Lançado, a 19.3.1986, no Salão Nobre do Senado Federal, com a presença de senadores, deputados, jornalistas, intelectuais de Brasília, amigos        do autor. Ocorreram sucessivas Noites de Autógrafos no mesmo ano: na Feira do Livro de Brasília; no Centro Cultural Pascoal Carlos Magno, em        Niterói, RJ; na Casa da Cultura de Angra dos Reis, RJ; na Cadeia Velha, de Paraty, RJ. A segunda edição teve noites de autógrafos no Clube                  Litero-Esportivo Fagundes Varela, em Rio Claro, RJ; e no Instituto de Cultura Hispânica, em Brasília.

      A primeira edição da obra foi divulgada, nacionalmente, em março de 1986, pelo jornalista Carlos Monforte,

     no programa Bom Dia Brasilda Rede Globo de Televisão.

     Esgotado, (Vendido em www.estantevirtual.com.br)

Crítica à Cult Brasil capa, 4ª capa e texto 4ª capa.png

Capa e quarta capa da 2ª edição, de 3 mil exemplares, do primeiro livro de Marcelo Câmara, esgotado em três meses.

A primeira edição de igual tiragem esgotou-se em trinta dias.

(Acervo Marcelo Câmara)

Crítica à Cult Brasil convite lançam 1986.jpg

Brasília, 1986. Convite para o lançamento do primeiro livro de Marcelo Câmara.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

MC autografa Crítica... em Niterói 1985 A.jpg

Centro Cultural Pascoal Carlos Magno, Niterói, RJ, 1986.

Marcelo Câmara autografa exemplar da primeira edição

de Crítica à Cultura Brasileira.

(Acervo Câmara Torres)

MC lançamento Crítica RC 1985.jpg

No inverno 1986, Marcelo Câmara, cercado de amigos

em Rio Claro, RJ, autografou o seu primeiro livro.

(Acervo Marcelo Câmara)

MC antes 1º livro 1.85.jpg

Janeiro de 1985: Marcelo Câmara em viagem de trabalho à Alemanha,

doze meses antes de lançar Crítica à Cultura Brasileira.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

_________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Nos jornais e revistas em que manteve coluna ou colaborou a partir de 1972 (lista adiante), publicou Prosa,

cerca de duzentos textos de Humor Literário e perto de trezentos textos de Produção e Crítica Literária e Cultural. Publicou, também, alguma Poesia. Na juventude, amadoristicamente, escreveu letras e compôs música.

Ensaios

publicados em veículos de Cultura

e como livretos/opúsculos.

 

 

  • Raul Pompeia: o gênio feito homem

    Edição do Autor. 2018.

    Capa e Projeto Gráfico de Marcela Petersen.

    Oração-ensaio bio-estilístico, dita por Marcelo Câmara

    quando de sua posse na Academia Fluminense de Letras - AFL, a 19.7.2018

    ao ocupara a Cadeira 37, patronímica de Raul Pompeia, criador de O Ateneu,

    um dos maiores romances da Literatura Brasileira.

O Gênio feito Homem oração ensaio capa 2018.jpg

Em julho de 2018, Marcelo Câmara lança Raul Pompeia: o gênio feito homem

oração-ensaio bio-estilístico sobre o escritor que José Saramago qualificou

como o maior da Literatura Brasileira, ao lado de Machado de Assis.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Câmara Torres - 70 anos de ideias e obras. Biografia.

      Ed. Senado Federal, Brasília, junho de 1987.

CT 70 anos capa.jpg

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Chopin: Lições Estéticas de uma morteEstética e Música.

     Ensaio-conferência pronunciada na Universidade Metodista de São Bernardo do Campo, em 1991,

     no II Encontro Nacional de Eslavística, promovido pela Associação Brasileira de Eslavística

     e Universidade de São Paulo - USP. Depois, o trabalho foi transformado e sintetizado pelo Autor

     em um artigo, publicado sob o título Chopin no fogo, na revista VivaMúsica,

     editada por Heloisa Ficsher, com a chamada de capa: As obras que Chopin mandou queimar.

     Revista VivaMúsica, nº 22, novembro 1996, Rio de Janeiro, RJ.

 

Viva Música! nº 22 nov 1996 capa e sumário.png

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • O Parecer de Ruy. Educação e Política. Leitura crítica do Parecer de Ruy Barbosa à Reforma do Ensino Primário,      proposta ao final da Monarquia. Por solicitação de Darcy Ribeiro e por este editado na revista

    Carta’ do Senador Darcy Ribeiro, Ed. Senado Federal, Brasília, 1992.

 

  • Ser negro no Brasil. Sociologia, Antropologia e História. Por solicitação de Darcy Ribeiro e por este editado

     na Revista Carta’ do Senador Darcy Ribeiro, Ed. Senado Federal, Brasília, 1991.

 

  • Angra: Vocações e Independência. História, Cultura, Política. Ensaio-conferência,

    pronunciado a convite da Câmara Municipal de Angra dos Reis.

    Ed. da Revista do Ateneu Angrense de Letras e Artes, Angra dos Reis, RJ, 1991.

 

  • Ilha Grande: o Paraíso Estigmatizado. Denúncia política e ecohistórica ao Ministro da Justiça

    contra a continuidade do funcionamento de presídios na Ilha Grande (Angra dos Reis, RJ), Brasília, 1990. 

 

  • Chopin e a Música Popular Brasileira. Estética e Música.

    Revista Aproximações - Europa de Leste em Língua Portuguesa (Culturas Brasileira e Polonesa),

    Brasília, Lisboa, Cracóvia, 1989. Publicado, também, no mesmo ano, no Jornal de Brasília, DF,

    e no jornal-revista O Prelo, Niterói, RJ.

 

  • O Negro no Folclore Fluminense. Antropologia e Folclore.

    Jornal-revista O Prelo, Niterói, 1988.

 

  • A Festa do Divino: Folclore e Devoção. Folclore, Catolicismo Popular de Paraty e Angra dos Reis, RJ.

    Mural (duas páginas centrais) do Caderno Cultural Encontro, de O  Fluminense, Niterói, 27.5.1974.

 

  • O Moralista Nelson Rodrigues. Estética, Literatura, Dramaturgia e Teatro.

    Mural (duas páginas centrais) do Caderno Cultural Encontro, de O Fluminense, Niterói,  10.12.1973.

 

______________________________________________________________________________________________________________________________

 

A partir de 1972, trabalhou em jornais, revistas e sites de vários Estados, entre eles:

 

  • em Niterói, RJ, foi Redator, Articulista e Colunista de Humor dos jornais Lig, sob a direção de Fernando                       Marcondes Ferraz (1973), e Fluminense, editado, inicialmente por José Casado, e, depois, por Emmanuel de             Bragança Macedo Soares (1973-4).

 

O Moralista NR matéria completa 1.png

Com um ensaio de vanguarda sobre Nelson Rodrigues, Marcelo Câmara estreia assinando matérias especiais

em O Fluminense, no Caderno Cultural de domingo Encontro, em 1973. O editor era o jornalista e historiador

Emmanuel de Bragança Macedo Soares. O trabalho, ocupando duas páginas centrais do caderno cultural de domingo,

teve grande repercussão nos meios culturais, sendo referenciado na Encyclopedia of Latin American Theater (EUA, 2003).

(Imagem FBN - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • no Rio de Janeiro, RJ, Redator/Colunista de Humor do Diário de Notícias (1974-1975).

     Repórter e Repórter Especial do Jornal do  Brasil, sob a chefia de Lutero Soares (1975).

    Colunista de Cachaças do Jornal do Commercio (1997).

Prazer Brasileiro coluna JCommercio 1997.png

Em 1997, Marcelo Câmara assinou no Jornal do Commercio,

do Rio, a primeira coluna do mundo tratando de Cachaça.

(Imagem: FBN - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

    Articulista político do jornal Inverta (1997-8).

    Colunista de Cultura do Jornal Ipanema, editado por Eduardo Pinto (1997).

    Repórter, Redator e Editor do site www.ilhaverde.net  (a partir de 2000)

 

  • em Brasília, DF, Redator da revista Boletim do Trabalho (1977-8).

    Repórter de O Globo (1977).

    Colunista de Humor  (1977) e de Cultura  (década de 1980) do Jornal de Brasília. Editado por Paulo Rehder

     e, depois, por Cora Rónai.

    Repórter Especial-Colaborador das revistas Manchete Fatos (Bloch - Sucursal BSB - década de 1980),

                    nesta última editado por Carlos Heitor Cony.    

    Colunista de Humor da revista Espelho, editada por Josélio Gondim (1982-3).

    Colunista de Política do Momento Político e do Jornal do Congresso Nacional  (1992).

     Colunista de Política e Cultura no sanatoriodanoticia.blogspot.com

    e do site www.tribunadainternet.com.br  (década de 2000)

 

  • em Angra dos Reis, RJ, Redator e Humorista do Maré - Jornal Comunitário (década de 1980).

 

  • em Paraty, RJ, Colunista de Cultura do Jornal de Paraty, editado por Luiz de Carvalho (2005-6)

 

Publicou ensaios, artigos e reportagens nos seguintes veículos:

 

  • A Tribuna, de Niterói, RJ.
  • Jornal-revista O Eco da Ilha Grande, de Angra dos Reis, RJ.
  • Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, RJ.
  • Jornal O Estado de São Paulo, SP.
  • Revista VivaMúsica, Rio, RJ.
  • Correio Braziliense, Brasília, DF.
  • Revista Aproximações - Europa de Leste em Língua Portuguesa. Brasília, Brasil; Lisboa, Portugal; Cracóvia, Polônia.
  • O Prelo, Niterói, RJ,
  • Gazeta de Angra, Angra dos Reis, RJ
  • Jornal do Cacauicultor e Espelho Ceplaqueano, Ilhéus-Itabuna, BA.
  • Revista dos 15 Anos da UFF, Niterói, RJ.
  • Terceiro Mundo, Centro Acadêmico Evaristo da Veiga, Faculdade de Direito da UFF, Niterói, RJ.
  • Perpectiva. Fundador e redator. Faculdade de Direito da UFF. Niterói, RJ.

 

MC repórter Rev UFF nov 1975 A.jpg

Marcelo Câmara, em novembro de 1975,

 atuando na Escola de Engenharia Industrial e Metalúrgica

de Volta Redonda, como repórter na produção

da Revista dos Quinze Anos da UFF,

que teve a editoria do professor e jornalista Nilson Lage.

(Foto: Sandra Sarquis - Acervo Marcelo Câmara)

_______________________________________________________________________________________________________________________________

 

A seguir, alguns dos títulos das centenas de artigos de Marcelo Câmara

publicados, a partir de 1965, em diversos veículos do País.

 

Porém, na página ARTIGOS deste site,

bem como no BLOG DO MARCELO CÂMARA,

a partir do primeiro texto postado a 26.10.2016, que está no endereço

 

http://blogmcamara.blogspot.com/2016/10/a-dipirona-e-as-olimpiadas.html 

 

o internauta irá encontrar, em suas íntegras, dezenas de textos críticos

sobre a Cultura e a Realidade Brasileira.

 

_______________________________________________________________________________________________________________________________

 

PRINCIPAIS ARTIGOS, REPORTAGENS,

ENTREVISTAS E TEXTOS TÉCNICOS

NOS UNIVERSOS DA CULTURA, ECONOMIA E POLÍTICA

(Publicados em jornais, revistas, news letters e sites)

 

OBS. Aqui não vão listados os títulos das matérias jornalísticas, de trabalho cotidiano, produzidas na Reportagem Geral

do Jornal do Brasil, na Assessoria de Imprensa do Ministro de Estado do Trabalho e na Assessoria de Comunicação Social

da Secretaria-Geral da CEPLAC, com exceção daquelas de importância superior e repercussão nacional. 

 

 

  • Há 130 anos nascia o maior cientista fluminense. Biografia, Ciência, Pesquisa.

    Sobre o Hemintologista (Parasitologista) Lauro Travassos (*Angra dos Reis, RJ, 1890 - † Rio de Janeiro, RJ, 1970).

    Publicado no Eco - Jornal da Ilha Grande, Angra dos Reis, Ed. agosto 2020,

    e em A Tribunado Estado do Rio de Janeiro, de Niterói, RJ, edição de 19, 20 e 21.12.2020.

Há 130 anos... A Tribuna dez 2020.png

(Imagem: A Tribuna, RJ - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Os Choros Alambicanos de Maurício Carrilho.

    Resenha sobre as quinze Cachaças que integram os Rankings de Marcelo Câmara,

    inspiraram e deram títulos aos quinze choros criados por Maurício Carrilho,

    apresentados em memorável show na Casa do Choro, Rio de Janeiro, a 26.4.2018,

    no lançamento de dois livros do Cachaçólogo.

    Lida por Maurício Carrilho antes de apresentar cada choro e publicados nos sites:

    www.ilhaverde.net, Rio, RJ, e do Escritório Castro Associados, Paraty, RJ.

 

  • Os Paratyenses. Série de perfis biográficos de personalidades da História recente de Paraty,

    que conviveram com o autor. Já perfilados: Câmara Torres, Abel de Oliveira, Aloysio de Castro,

    Antônio de Oliveira Vidal e José Kleber Martins Cruz.

    Publicados no site do Escritório Castro Associados, Paraty, RJ, a partir de 2017.

     

  • Os Angrenses. Série de perfis biográficos de personalidades da História recente de Angra dos Reis,

     que conviveram com o autor. Já perfilados: Heitor Chagas da Rocha, Solomão Pedro Reseck

     e Luiza Olindina Alves.

     Publicados na Revista do Ateneu Angrense de Letras e Artes, a partir de 2016. 

 

  • A indicação geográfica da Cachaça de Paraty – Considerações históricas, jurídicas, econômicas e sociais.              Cachaçologia, Direito, Economia e Sociologia.

    www.ilhaverde.net e Revista do Ateneu Angrense de Letras e Artes, abril, 2011, Ano XII, nº 20 e neste site.

 

  • A verdade sobre o mito Gentileza. Com Luiza Petersen. Sociologia.

    Jornal do Brasil, RJ, 21.2.2010.

 

  • "Profeta" Gentileza: uma criação acadêmica. Com Luiza Petersen. Sociologia.

     Jornal do Brasil, RJ, 8.3.2010.

 

Gentileza dois artigos JB.png

(Imagens: FBN - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Uma polêmica impossível: Marcelo Câmara X Revista da Biblioteca Nacional.

    Artigo. Publicado em www.ilhaverde.net e no site da ALESFE - Associação dos Consultores e Advogados

    do Senado Federal, Brasília, DF e em vários outros do País.

    Março de 2008.    

 

  • Fantasia não eliminada. Cultura Brasileira e Cachaçologia. Carta-artigo.    

    Revista História da Biblioteca Nacional, ed. 33, março de 2008, Rio, RJ,

    e no site do Escritório Castro& Associados, 2015, Paraty, RJ.

    (Crítica à reportagem A pinga que pingava, publicada na Revista História da Biblioteca Nacional,

     ed. 29.2.2008.)

 

  • A centésima é por nossa conta. Cultura e Economia da Cachaça. Editorial.

    1ª página comemorativa da edição nº 100 do Caderno Paladar.

    do jornal Estado de São Paulo, SP, 16.8.2007 (contratado pelo jornal para escrever o editorial)

 

_____________________________________________________________________________________________________________________________

Nova Imagem (6).png

                               16.8.2007

xxx.png

_______________________________________________________________________________________________________________

 

  • Cachaaaçaaa, o prazer brasileiro. Cachaçologia. Artigo. Jornal Página Central, São Paulo, SP,  julho de 1998.

 

  • Cidadania. Política. Jornal Inverta, Rio de Janeiro, RJ, 1996.

 

  • Os direitos culturais de cada um. Cultura e Política. Jornal Inverta, Rio de Janeiro, RJ, 1996.

 

  • Capitalismo: ilusões e evidências. Ideologia e Política. Jornal Inverta, Rio de Janeiro, RJ, 1996.

 

  • O Socialismo acabou? Política. Jornal Inverta, Rio de Janeiro, RJ, 1996.

 

  • Mistério e História no Desaparecimento do Doutor Ulysses. Título original: Ulysses: suicídio e mistério .

    História, Geografia e Ecologia. Artigo publicado uma semana após o acidente que vitimou o político.

    Jornal do Congresso Nacional, Brasília, 1992; depois republicada

    na Revista do Ateneu Angrense de Letras e Artes, 1993.

 

  • Neoliberalismo não é Social Democracia. Política. Momento Político, Brasília, DF, 1992.

 

  • Um alerta do General Andrada Serpa: Estamos caminhando para a convulsão social.

     Política e  Economia. Momento Político, Brasília, DF, 1992.

 

  • Patentes: Projeto de Lei é anti-nacional. Política e Economia. Momento Político, Brasília, DF, 1992.

 

  • Um livro para o Brasil. Política e Economia.

    Crítica ao livro Soberania e Dignidade: raízes da sobrevivência, de Bautista Vidal.

    Momento Político, Brasília, DF, 1992.

 

  • Dom Quixote ou De Gaulle? Política. Perfil cívico-político do General Andrada Serpa.

    Momento Político, Brasília, DF, 1992.

 

  • Os ex-brizolistas (ou os que nunca o foram). Política. Jornal do Congresso Nacional, Brasília, DF, 1992.

 

  • Mestre maestro. Música e Cultura. Sobre a vida e obra de Claudio Santoro. Jornal de Brasília, 1990.

 

  • Orquestra Sinfônica Brasileira. Apresentação do Programa em Homenagem Póstuma a Cláudio Santoro,

     Teatro Municipal do Rio de Janeiro, RJ, 1989.

 

  • O Assassinato de Cláudio Santoro. Denúncia Cultural. Jornal de Brasília, 1989.

 

  • Brasília insultada. Artigo-desagravo em defesa da conduta, trabalho e obra

    do músico, professor, compositor e maestro Cláudio Santoro.

    Correio Braziliense, Brasília, DF, edição de 29.10,1988.

    

  • Desespero e burrice . Artigo-réplica, em defesa do Homem Público, Câmara Torres.

    Maré – Jornal Comunitário, Angra dos Reis, RJ, 1988.

 

  • Chopin, sempre contemporâneo. Música e Estética. Artigo. Jornal de Brasília, 1988.

 

  • O jovem Rubens Falcão. Crítica Literária e Perfil Biográfico. Artigo. Jornal de Brasília, 1988.

 

  • MinC: a gestão Furtado. Política Cultural. Artigo crítico. Jornal de Brasília, 1988.

 

  • A Perestroika Polaka. História e Política. Artigo. Jornal de Brasília, DF, 1988.

 

  • Confissões de um angrense ausente. Cultura e Política. Artigo. Gazeta de Angra, RJ, 1988.

 

  • Polônia, Cultura e Independência. História, Cultura e Política. Artigo. Jornal de Brasília, 1988.

 

  • Cineclubes: obras-primas só no circuito marginal. Cinema e Cultura. Reportagem.

    Texto editado por Carlos Heitor Cony na revista Fatos (Bloch), Rio de Janeiro, 1986.

 

  • De que morreu Tancredo. Medicina. Revista Fatos (Bloch). Reportagem.

    editado por Carlos Heitor Cony, Rio de Janeiro, RJ, 1986.

 

  • Quintana, Cascudo e Bachelard. Literatura, Antropologia e Filosofia.

    Artigo resultante de uma das últimas entrevistas, essa exclusiva,

    com o genial poeta Mário Quintana, onde o Autor apresenta as identidades

    do vate gaúcho com o  historiador e etnógrafo potiguar e o filósofo francês.

    Jornal de Brasília, 1986.

 

  • Brasil: É proibido matar baleias. Ecologia, Direito e Economia Internacionais.  

    Reportagem ilustrada a cores de cinco páginas.

    Revista Manchete (Bloch), Rio de Janeiro, RJ, edição de 28.12.1985.

Brasil È proibido matar baleias 28.12.85.png

(Imagem: FBN - Acervo Marcelo Câmara)

 

  • Relatório técnico-crítico de viagem à Alemanha na condição de Representante do Brasil 

    na 50ª Semana  Verde Internacional de Berlin (Internationale Grüne Woche Berlin)

    Primeiro enviado oficial do Governo do Brasil ao exterior, da área de Comunicação Social,

    com a finalidade de divulgar o cacau brasileiro. Texto com análises e recomendações encaminhado

    às autoridades do setor "Cacau", e dos Ministérios da Agricultura e Relações Exteriores. Brasília, DF, fev.1985.

 

  • Cocoa: Brazilian Wealth. Economia do Cacau. Artigo publicado no Monthy Letter - ML nº 62,

     publicação técnica do Banco do Brasil, Brasília, DF. Autor do texto básico em português.

     Redação e edição.

     Brasília, DF, February/1984.

 

  • Um Bom Caminho. Economia, História e Sociologia do Cacau no Brasil e no mundo.

     Livro comemorativo do Jubileu de Prata da CEPLAC (1957-1982).

     Pesquisa, redação e edição.

     Ed. CEPLAC. Ilhéus, BA, dez 1981.     

 

  • Cacau - Riqueza Brasileira. Economia do Cacau. Folder sobre a história, realidade e perspectivas

    da Cacauicultura nacional e atividades da CEPLAC -Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira

    Ed. CEPLAC, Ilhéus, BA, 1980.

 

  • Burros, fraldas e saudade. Política. Perfil de Heitor Chagas da Rocha, ex-prefeito de Angra dos Reis, RJ.

    Artigo. Homenagem Póstuma. O Fluminense, Niterói, RJ, outubro 1980.

 

  • Regulamentação da Profissão de Artista: marco histórico na vida cultural brasileira

    e Regulamentação da profissão de artista – o resultado da união da classe e do governo.

    Teatro, Cultura Brasileira, Sindicalismo. Grandes reportagens publicadas no Boletim do Trabalho

    e na edição especial da revista Amiga, Bloch Editores, ambas em 1978. Brasília, DF, e Rio de Janeiro, RJ.

MC com Wanda Lacerda no CN 24.5.1978.jpg

Congresso Nacional, Brasília, 24.5.1978. O jornalista Marcelo Câmara, Assessor de Imprensa do Ministério do Trabalho,

entrevista a atriz Vanda Lacerda, durante a votação do Projeto de Lei que resultou na Lei nº 6533, de 1978,

que regulamentou as profissões de Artistas e de Técnico em Espetáculos de Diversões.

(Foto: Roosevelt Pinheiro - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • O riso narcotiza a eterna angústia do homem. Entrevista, de página inteira, concedida a Celso Araújo,

     do Jornal  de Brasília, DF, sobre o seu trabalho como humorista profissional, quando estreava

     coluna semanal de Humor no diário da Capital Federal (Brasília, 1977).

 

  • Reparos no navio “Metula” custarão Cr$ 190 milhões. Economia, Petróleo, Ecologia e Transporte Marítimo                Internacional. Sobre a chegada, ancoramento e estadia, na Baia de Angra dos Reis, do superpetroleiro holandês,

    após acidente no Estreito de Magalhães, no Chile. 

    Fotos de Ronald Theobald

    Pauta do Autor. 1ª página do Jornal do Brasil, RJ, edição de 24.2.1975.

 

Metula supertroleiro JB 1975.jpg

O superpetroleiro Metula, propriedade do Grupo Shell, de 250 mil ton., em 1975, era um dos maiores do mundo:

325 metros de cumprimento e 48 de larguna, capacidade para transportar 51 mil ton. Sua torre maior tinha a altura

de um edifício de quinze andares. Com uma tripulação holandesa,  o navio chegou em fevereiro, na Baía de Angra dos Reis, RJ,

para avalização dos danos e reparos. O repórter Marcelo Câmara criou a pauta e fez a reportagem sobre o sinistro ocorrido

no Chile e sua ancoragem em águas fluminenses. A matéria foi publicada na primeira página do Jornal do Brasil.

(Foto: Shell Tankers B.V. Bouwjaar 1968 - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

•    A alma rica e desconhecida da Velha Província, entrevista a Thereza Jorge sobre o Folclore Fluminense,

     em O Globo, Rio de Janeiro, RJ, edição de 3.7.1975.

 

  • Festival realiza Festa do Folclore. Folclore. Reportagem sobre o primeiro e único festival de Folclore,

    realizado no Estado do Rio de Janeiro. Revista Fluminense do Folclore, Niterói, RJ, 1975.

 

  • Dia Nacional do Folclore. Folclore, Educação e Civismo.

      Artigo publicado no Boletim da Assessoria de Moral e Civismo - CECIVE,

    do Departamento de Educação, da Secretaria de Educação e Cultura

    do Estado do Rio de Janeiro. Ed. nº 1, Ano I, Rio de Janeiro, RJ, 1975.

 

  • Contenção de encosta atrasa Rio-Santos. Reportagem crítica sobre o projeto, traçado,

    irracionalidades técnicas e insustabilidade ambiental da Rodovia Rio-Santos, em construção.

    Fotos de Ronald Theobald

    Pauta do Autor. 1ª página do Jornal do Brasil, RJ, edição de 3.3.1975.

 

  • O riso levado a sério. Filosofia e Estética. Artigo.

    Revista do Ateneu Angrense de Letras e Artes, Angra dos Reis, RJ, 1975.

 

  • O sucesso discreto de Johnny Alf. Música Popular. Reportagem, entrevista e artigo. O Fluminense, Niterói, 1974.

 

  • O triste fim dos carrinhos de mão: drama de 100 famílias. Sociologia.

    Reportagem, de página inteira, sobre os “burros-sem-rabo”. 

    Fotos de Agenor Borges.

    O Fluminense, Niterói, RJ, 21.4.1974.

O triste fim dos carrinhos... O FLU 21.4.74.png

(Imagem: FBN - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • O Folclore do Vale do Jequitinhonha. Etnografia. Reportagem-Artigo.

    Revista Fluminense do Folclore, Niterói, 1974.

 

•   Carl Paul Ernest Paulsen – Amor, ciência e trabalho. Grande entrevista com o químico e industrial,

     introdutor dos impermeabilizantes no Brasil, O Fluminense, Niterói, RJ, 3.2.1974.

 

  • Salesiano realiza Festival de Música Popular. Música. Reportagem cultural.

    Revista Atualidade, Niterói, 1965.

    Primeiro texto jornalístico publicado quando Marcelo Câmara contava quinze anos de idade.

 

 

Escreve e edita, regularmente, neste site, textos de sua autoria, principalmente nas páginas: Armazém Paraty, Notícias e Eventos, Artigos e Cachaça.

 

 

Humor

 

OBS. Aqui não estão registrados os títulos das matérias de Humor, cerca de trezentas, publicadas nos veículos

nos quais manteve espaços e assinava colunas exclusivas do gênero. Foram eles: 

 

  • Confraria do Copo Furado. Atas das reuniões mensais. Redator e Editor (Ipanema, Rio de Janeiro, RJ, 1994-7).
  • Marcelo Câmara, página mensal na Revista Espelho, Brasília (1982-3).
  • Marcelo Câmara, espaço exclusivo no jornal Maré – Jornal Comunitário, Angra dos Reis, RJ (1981-2);
  • I e II Salão de Humor de Brasília . Humorista convidado (1977 e 1979).
  • Coluna semanal no Jornal de Brasília (1976-7), com desenhos do cartunista Gougon;
  • Marcelo Câmara, página central no jornal Uniservi Notícias, jornal da União dos Servidores da Justiça do Estado      do Rio de Janeiro, Rio. (1975-6);
  • Marcelo Câmara, coluna diária (1974), com desenhos do cartunista Egon,  e três vezes por semana (1975, editado por        Wagner Teixeira) no jornal Diário de Notícias,

     Rio de Janeiro,  RJ;

 

DN 31.8.71 p. 18 estreia Humor.png

A 31.8.1974, Marcelo Câmara inaugura a sua coluna diária

de Humor no Diário de Notícias, do Rio de Janeiro,

com os desenhos do cartunista Egon.

(Imagem: FBN - Acervo Marcelo Câmara)

DN retorno MC 10.7.75.png

A 1ª página da edição de 10.7.1975

do Diário de Notícias

noticiou que o Humorista Marcelo Câmara

estava voltando ao jornal.

(Imagem: FBN - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Um minuto de Marcelo, quadro de Humor no programa Informe RJ, da TV Rio, Canal 13, Rio, RJ (1973).

​​​​​​​

  • Espaço semanal na edição dominical do Caderno Cultural Encontro do jornal O Fluminense, Niterói (1973-4);
O Flu estreia MC Humor 8.10.73.png

A 8.10.1973, Marcelo Câmara inaugura a sua página

semanal de Humor em O Fluminense.

(Imagem: FBN - Acervo Marcelo Câmara)

 

  • Espaço semanal. Humor e Turismo.

    No jornal Lig, de Niterói, RJ, 1973.

 

 

Radiojornalismo

 

  • Redator de 48 programas educativos, de orientação e Extensão Rural, sob responsabilidade da Ceplac,

    dirigidos aos cacauicultores da Região da Amazônia Legal, transmitidos pela Rádio Nacional de Brasília

    (1979-80).

 

 

CONFERÊNCIAS, PALESTRAS, ORAÇÕES,

AULAS E PARTICIPAÇÃO EM SEMINÁRIOS

E WORKSHOPS SOBRE TEMAS DA CULTURA,

ECONOMIA, DIREITO E POLÍTICA

 

 

  • Câmara Torres: o Educador e o Político. Palestra ministrada a 19.6.2019,

    no Centro Municipal de Ensino Deputado Câmara Torres, em Passa Três, Município de Rio Claro, RJ,

    para trezentos alunos da escola, direção, pedagogos, professores, servidores, pais e responsáveis,

    lideranças comunitárias e políticas, autoridades municipais e convidados.

 

  • Treinamento do pessoal de Alimentos e Bebidas (cinquenta funcionários) do Hotel Copacabana Palace,

    no Rio de Janeiro, RJ, abril de 2011.

 

  • A Cachaça na História e na Cultura Brasileiras, palestra ao final da sessão que marcou a entrada,

    no circuito comercial do País, do documentário Estrada Real da Cachaça, de Pedro Urano,

    no Cine Joia, em Copacabana, Rio de Janeiro, RJ em 21.6.2011.

    O filme, que teve Marcelo Câmara como uma das principais fontes e narrador em vários momentos,

    conquistou o prêmio de “Melhor Documentário” no Festival do Rio 2008 e do Festival de Mar del Plata 2008

    e foi selecionado em diversos festivais nas Américas e na Europa.

 

  • Curso de Formação Básica de Degustador de Cachaças – Amador e Profissional.

    Cachaçologia. Cursos criados e ministrados por Marcelo Câmara, em cinco versões,

    formando mais de meia centena de pessoas de vários Estados e do exterior

    (químicos, biólogos, engenheiros agrônomos, engenheiros de alimentos, empresários,

    empreendedores e técnicos do setor de bebidas, pingófilos, apreciadores, iniciantes, estudantes).

    Hotel Vermont, Ipanema, Rio de Janeiro, RJ, 2011/2012.

Matéria Rev OG 2º Curso Cachaça 11.2011.png

,A Folha de São Paulo enviou repórter para o 1º Curso de Degustador de Cachaças, em junho de 2011.

A Revista O Globo publicou a reportagem acima sobre o 2º Curso, de outubro do mesmo ano.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

  • Rio Claro nos olhos e no coração. Oração de gratidão ao Povo de Rio Claro, RJ,

    quando agraciado com o Mérito Fagundes Varela, concedido pela Prefeitura Municipal de Rio Claro.

    Sessão Solene no Plenário da Câmara Municipal de Rio Claro, 16.8.2009.

 

  • Palestra e degustação de Cachaças de Excelência Sensorial,

    para os hóspedes do Hotel Sofitel, Copacabana, Rio de Janeiro, RJ, 2008.

 

  • Palestra e degustação de Cachaças de Excelência Sensorial,

     para os executivos na América Latina da empresa inglesa Unilever.

     São Paulo, SP,  2007,

Unilever palestra e degustação SP 2007.jpg

Marcelo Câmara fala, em São Paulo, aos executivos da Unilever para a América Latina,

sobre a Cachaça, ensiando a bebê-la com sabedoria, prazer e responsabilidade.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Câmara Torres, um homem público. Oração de posse como Sócio Correspondente

    do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, Natal, 2007.

 

  • Cachaça: um espírito belo e santo. Salão da Cachaça do Espírito Santo, Vitória, 2006.

 

  • A cachaça é nossa. Salão da Cachaça e da Moqueca Capixaba, Vitória, ES, 2005.

 

  • Paraty: alma, casa e poema. Oração de gratidão ao povo de Paraty, RJ,

    quando recebeu o Título de Cidadão Paratyense Honorário,

    concedido pela Câmara Municipal de Paraty.

    Sessão Solene no Plenário da Câmara Municipal de Paraty, fev. 2005.

 

  • Cachaça de Paraty: ciência, arte e excelência. I e II Folias Gastronômicas de Paraty, RJ, 2003 e 2004.

 

Folia Gastronômica Paraty 2003 cartão postal.jpg
  • A cachaça na vida brasileira. Centro Cultural do Colégio Rio de Janeiro, Rio, RJ, 2003.

 

  • A música nos livros: meandros de pesquisa e produção. Expositor e debatedor na feira Primavera dos Livros -          Uma festa para o leitor. Liga Brasileira de Editores – LIBRE, Jockey Club Brasileiro, Rio, RJ, 2001.

 

  • Darcy Ribeiro - o homem, os sonhos e fazimentos. Palestra no evento acadêmico Vozes Silenciadas que                  Ficaram na Memória e Fazem a História - Última Aula do Milênio, UERJ, Campus São Gonçalo, RJ, 2000.

 

  • Brasil 500 anos - Rumo ao Terceiro Milênio. Câmara Municipal de Angra dos Reis, 1999.

 

MC Brasil Rumo ao Terceiro Milênio Angra 1.2000.jpg

À convite da Câmara Municipal de Angra dos Reis,

Marcelo Câmara falou de improviso, por mais de uma hora, percorrendo um roteiro

sobre a História, a realidade, os horizontes da terra de Lopes Trovão

e de seu povo às vésperas do ano 2000.

MC Brasil Rumo...  foto ginásio Aquidabã 12.1999.jpg

Angra dos Reis, dezembro de 1999. Em Sessão Solene da Câmara Municipal,

o angrense Marcelo Câmara fala a duas mil pessoas, no ginásio do Iate Clube Aquidabã,

sobre o Brasil -500 anos - Rumo ao Terceiro Milênio.

MC recebe diploma Fiote 1999.jpg

Marcelo Câmara recebe do Presidente da Câmara Municipal,

Vereador Elias José Rabha Neto (Fiote), diploma que registra os agradecimentos

do Poder Legislativo de Angra dos Reis pela Conferência pronunciada.

(Fotos: Câmara Municipal - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Chopin: Lições Estéticas de uma Morte. Congresso Brasileiro de Eslavística, USP/Universidade Metodista,

     São Bernardo do Campo, SP, 1992.

 

  • Angra: Vocações e Independência. Câmara Municipal de Angra dos Reis, janeiro de 1991.

 

  • Chopin e a Música Popular Brasileira. Sociedade Brasileira Frederico Chopin, Embaixada da Polônia, Brasília,            21.10.1987.

 

  • Biblioteca, Cultura e Constituinte. Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação, Recife, PE, 1987.

 

  • Direitos Sociais: Cultura. Seminário de Estudos para a Constituinte, Senado Federal, Brasília, 1986.

 

  • A Cultura Brasileira. Universidade do Distrito Federal – UDF, Brasília, 1986.

 

  • Sistemas de Comunicação Social. Curso de Turismo, UPIS – Faculdades Integradas, Brasília, 1984.

 

  • Cacau: realidade e perspectivas. Cadeira de Problemas Brasileiros, Universidade de Brasília – UnB, Brasília,               1983.

 

  • Cacau: realidade e perspectivas. Semana de Geografia, do Centro de Ensino Universitário de Brasília – CEUB,     

     Brasília, 1982.

 

  • O Estudo do Folclore. Expositor e debatedor na Semana do Folclore, Liceu Nilo Peçanha, Niterói, agosto 1974.

_______________________________________________________________________________________________________________________________

 

COMUNICAÇÃO SOCIAL

 

JORNALISMO, PUBLICIDADE / PROPAGANDA,

MARKETING, RELAÇÕES PÚBLICAS,

AUDIOVISUAL, INTERNET E CINEMA

 

 

PLANOS E PROJETOS

OBRAS E EVENTOS

CONSULTORIA EMPRESARIAL

 

 

Durante os períodos; de julho de 1977 a fevereiro de 1979, como Assessor Especial e Assessor de Imprensa

                                      do Ministro de Estado do Trabalho,

                                      e, de fevereiro de 1979 a fevereiro de 1985, como Assessor na CEPLAC-MAPA

                                          – foi o principal Redator Jornalístico/de Imprensa e das áreas da Comunicação Social

                                      das duas instituições, autor de milhares de textos distribuídos e/ou publicados/divulgados

                                      por ambos os órgãos, e diversos veículos do País e do exterior.

                                      Também não vão aqui listados as matérias produzidas na Redação do Jornal do Brasil, RJ (1975)

                                      e de O Globo, Sucursal de Brasília, DF (1977).

 

  • Ampla e diversificada Consultoria Técnica Especializada em Cachaça para a criação e instalação  da empresa          Alambique Antonio Melloprimeira Cachaçaria do Brasil, em Paraty, RJ (2019-2020).

 

  • Redação de todo o conteúdo, a integralidade de textos para o site da Cachaça Coqueiro, Paraty, RJ. (2016).

 

  • Redação de todo o conteúdo do site do Grupo Musical Sambatuque, Monique, Alemanha, 2016.

 

  • Reformulação de todo o conteúdo, a integraliade dos textos, do site da Cachaça Dedo de Prosa,

    Piranguinho, MG (2011).

 

  • "Pra quem sabe". Criou este slogan para a Cachaça Coqueiro, de Paraty, RJ (2004).

 

  • "Cachaça de verdade"Criou este slogan para a Cachaça Corisco, de Paraty, RJ (2004).

 

  • Criação dos textos da peça publicitária e promocional (folder de oito lâminas),

    de lançamento da Cachaça do Barão, produto lançado no País e no mercado internacional em 2004

    (CorpBrasil / Agrozurita, São Paulo, SP, 2003)

 

  • Ilha Verde – Consultoria Comércio e Projetos Culturais Ltda. Empresa cultural, sediada no Rio, RJ,

    que promoveu diversas atividades culturais. Fundador, proprietário e administrador. De 2000 a 2006.

    A empresa realizou trabalhos executivos, de planejamento e consultoria para empresas e instituições

    nas áreas da Comunicação e da Cultura: Cachaçologia, Música Popular, Folclórica e Erudita;

    Produção Fonográfica, Publicidade/Propaganda, Literatura, Jornalismo, redação, produção e apresentação

    de shows musicais, Editoração, Artes, Comércio Digital etc.

 

  • Galeria dos Presidentes do TRE-RJ. Exposição permanente de fotografias dos Desembargadores

    que presidiram a Corte. Realizou a pesquisa histórica, elaborou a redação dos perfis e foi o apresentador na            solenidade de inauguração, conduzindo a cerimônia na sede do Tribunal, no Rio de Janeiro, em outubro de 1997.

 

  • A bênção, Newton Mendonça. Primeiro show sobre a vida e obra do pianista de vanguarda e genial compositor,        com os seus filhos, Fernando e Renato Mendonça, e Antônio Nastari. Autor do texto, direção e apresentação.            Toca do Vinicius. Ipanema, Rio, 1997.

 

  • Plano Diretor do Centro Cultural do TRE-RJ. História, Arquitetura, Planejamento, Política e Gestão Cultural

    do documento técnico, oficial, institucionalizado em Ato do Presidente da Corte, que resultou na criação do              Centro Cultural da Justiça Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro - Palácio da Cidadania, atualmente

    Centro Cultural da Justiça Eleitoral, do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, hoje em funcionamento

    no vetusto e histórico edifício da Rua Primeiro de Março, 42, tombado pelo Município, pelo Estado

   e pela União, localizado no Centro da Cidade do Rio de Janeiro. Concepção e elaboração do documento. 1997.

 

  • Memória é Vida. História e Cultura. Projeto cultural da Confraria do Copo Furado - CCF,

    que pretendia homenagear quinze ipanemenses, habitantes e amantes do bairro

    que se tornaram grandes personagens da Cultura Brasileira e “cidadãos do mundo”,

    de prestígio internacional. Receberam placas de bronze nos frontispícios de suas residências:

    Newton Mendonça, Antônio Carlos Jobim, Vinicius de Moraes e Rubem Braga.

    Criou e iniciou a execução do Projeto, em Ipanema, RJ, em 1996-7, interrompido por falta de patrocínio,

    quando ainda doze personalidades seriam homenageadas.

 

  • Homenagem aos 82 anos de nascimento de Vinicius de Moraes. Poesia e Música.

    Apresentador do evento e o autor da pesquisa e seleção de textos de poesia e prosa do poeta

    que construiu o recital na ocasião, feito pelo locutor Corrêa de Araújo e pelo ator Orlando Drummond.

    Presença dos membros da CCF, inclusive do Senador Saturnino Braga, que disse um longo poema de Vinicius.          Toca do Vinicius. Ipanema, Rio, RJ, 1995.

 

  • Criador das Normas e critérios sensoriais, categorias e condutas de natureza técnica e cultural

    para a  Degustação Profissional de Cachaças, hoje aplicadas universalmente. Rio, 1994.

     Desde então, como Cachaçólogo, Degustador de Cachaças e Consultor de Cachaças, dirigiu,

     em todo o País, centenas de Sessões de Degustação para empresas, instituições, personalidades e eventos,             na área pública e privada; presta serviços de ampla e diversificada Consultoria Técnica Especializada,                         econômica e cultural, no universo da Cachaça a dezenas de empresas (destilarias) do plantio da cana-de-açúcar       ao consumo da bebida brasileira, Incluindo a realização de Análises Sensoriais de dezenas de marcas,                       expedindo Laudos Técnicos.

 

  • Confraria do Copo Furado- CCF, primeiro e único sodalício cultural do mundo que reunia

    degustadores de Cachaça, e que realizou um trabalho de estudo, valorização, promoção

    e divulgação nacional e internacional da Cachaça, como genuína bebida nacional,

    produto e expressão da Cultura Brasileira.

    Idealizador, criador, organizador, primeiro e único presidente.

    Ipanema, Rio de Janeiro, RJ, 1994-7.

 

  • Galeria dos Presidentes do TRE-RJ. Exposição permanente de fotografias dos Desembargadores

    que presidiram a Corte. Realizou a pesquisa histórica, elaborou a redação dos perfis

    e foi o apresentador na solenidade de inauguração, conduzindo a cerimônia na sede do Tribunal,

    no Rio de Janeiro, em outubro de 1997.

 

  • "Unidos Beberemos. Sozinhos, também!"  Criador deste slogan e "Grito de Paz" da Confraria do Copo Furado,             primeiro sodalício do mundo a reunir degustadores de Cachaça e a divulgar, internacionalemente,

     a bebida brasileira como uma das mais caras e belas expressões da Cultura e da História do País.

     A entidade foi criada por Marcelo Câmara, que a presidiu durante toda a sua existência (1994-7),

     em Ipanema, Rio de Janeiro, RJ.

 

  • Um veículo de Comunicação Jornalística para a CIRM – Comissão Interministerial para os Recursos do Mar /          Ministério da Marinha. Autor do Projeto. Nome sugerido: Jornal do Mar. Trabalho elaborado a pedido da CIRM.        Brasília, junho de 1986.

 

  • Na CEPLAC, escreveu e/ou editou dezenas de publicações

    para a direção e áreas técnicas da instituição.

 

  • Exposição A Economia do Cacau Brasileiro e a CEPLAC.

    Criação dos painéis de textos vertidos para o alemão e fotografias exibidos

    50. Internationale Grüne Woche (50ª Semana Verde), Berlim, Alemanha. Jan/fev 1985.

 

  • Elaboração dos textos das embalagens de chocolate ao leite em barra e do cacau em pó,

    brindes institucionais de Relações Públicas da Ceplac. Brasília, DF, 1983.

 

MC e Marcelo Gedeon.jpg

Marcelo Câmara e o legendário cacauicultor do Sul da Bahia,

Marcelo Gedeon, que, na década de 1980, era o maior renovador de roças de cacau do País.

O produtor esteve no programa Bom Dia Brasil, da TV Globo, em rede nacional,

por sugestão do Coordenador de Comunicação Social da CEPLAC à emissora.

(Foto Salustiano M. Pinto  - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • As doces arrobas do sol, de Vanderlúcio Abelha, filme documentário,

    primeiro longa-metragem do mundo sobre o Cacau e o Chocolate.

    Autor do texto do filme. Rio, RJ, 1982.

 

  • Autor do texto do filmete publicitário comemorativo do Jubileu de Prata da CEPLAC,

    veiculado em diversas emissoras de televisão e salas de cinema do País durante o ano de 1982,

    Brasília, DF.

 

  • Programa multivisão comemorativo do Jubileu de Prata da CEPLAC.

    Coautoria do texto e da seleção de imagens. Exibido em Ilhéus, BA, em fevereiro de 1982.

 

  • Coordenador Nacional do Programa do Jubileu de Prata da CEPLAC 1957-1982.

     Eventos institucionais, econômicos, culturais e sociais.

     Campanhas midiáticas. Publicações, peças jornalísticas, informativas,

     técnico-científicas, de propaganda institucional da Efeméride.

     Elaboração e execução durante o ano de 1982.

MC e Cel Boto CEPLAC 1981 A.jpg

Brasília, 1982, Ano Jubileu de Prata da CEPLAC.

Na Secretaria-Geral da instituição, o Diretor-Geral

dos Correios, Botto de Barros, preside a cerimônia

de lançamento do selo comemorativo

da efeméride. Ao fundo, Marcelo Câmara,

que elaborou e coordenou a execução

do programa nacional do Jubileu.

(Foto: Roosevelt Pinheiro - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Utilização da Tecnologia de TV nos Programas Nacionais de Extensão Rural, Mão-de-obra Rural,

    Treinamento de Pessoal, Pesquisa Agronômica, Desenvolvimento Comunitário Rural

    para os públicos atendidos pela CEPLAC. Projeto sociocultural e econômico

    considerado pela FAO/ONU “o melhor realizado pelo Brasil no quinquênio 1977-1981”,

    segundo Jean Christophe Bouvier, Encarregado do Programa da FAO/ONU no Brasil.

    Concepção e elaboração. Brasília, 1981.

 

  • Reunião dos Países Produtores de Cacau.

    Coordenador de Imprensa e de Relações Públicas.

    Secretaria Geral da CEPLAC, Brasília, DF, abril de 1980.

Reunião Países Produtores 4.80.jpg
  • O Cacau e o ChocolateDezenas de exposições socioculturais e econômicas sobre o tema,

     realizadas em diversos Estados. Planejamento e realização. De 1979 a 1985.

 

  • Criação e edição do cartão postal institucional da CEPLAC. Brasília, DF, 1980.

 

Cartão postal frente 5.22.jpg
Cartão postal verso 5.22.jpg
Cartão postal verso Sem Fazend 26.9.80.jpg

 

  • UM BOM CAMINHO

     Criador deste slogan para a CEPLAC, integrando-o à sua logomarca.

     Brasília, DF, 1979

Logotipo e slogan a cores.jpg
  • O quinquênio de ouro do cacau – Exposição permanente de fotos e textos sobre a história e realidade

    da Cacauicultura Brasileira, na sede da CEPLAC. Organizador e administrador. Brasília, de 1979 a 1985.

MC com Zé Haroldo e Paulinelli A.jpg

Brasília, março de 1979.

Marcelo Câmara, profissional de Comunicação Social da CEPLAC,

entrevista o Ministro de Estado da Agricultura e Abastecimento,

Alyson Paulinelli, (ao centro), e o Secretário-Geral

do órgão da Cacauicultura brasileira,

José Haroldo Castro Vieira.

(Foto Roosevelt Pinheiro - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Sistema de Comunicação Social da CEPLAC - SICOM.

    Concepção, autoria e execução do primeiro modelo de Administração sistêmica da Comunicação Social

    da área pública no Brasil (1979-1985). Trabalho editado pela CEPLAC, Brasília, 1981.

 

  • Coordenador da Campanha Publicitária Nacional de Combate da Vassoura-de-Bruxa do Cacaueiro,                            com peças criadas e produzidas pela Norton Propaganda, com assessoramento e supervisão

    de Marcelo Câmara, aprovadas pela Secretaria-Geral da CEPLAC,

    e executado pela Coordenação, pelas unidades de Comunicação Social e Extensão Rural da instituição.

    Brasília, DF, 1979..

Vassoura de Bruxa cartaz Campanha CEPLAC Norton.png

Uma das peças produzidas pela Norton Publicidade, com a parceria da CEPLAC (Marcelo Câmara),

para a CAVAB (Campanha de Controle da Vassoura de Bruxa do Cacueiro), que incluiu

programas audiovisuais exibidos em aeroportos, rodoviárias, portosrodovias  e ferrovias

da Bahia, Espírito Santo  e Amazônia, bem como a fixação de cartazes, e distriuição

de folders e volantes  aos públicos em trânsito entre os Estados produtores de cacau.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

  • Criação e redação de todas as mensagens de propaganda institucional de âmbito nacional da CEPLAC                      publicadas pela mídia, de 1979 a 1985, Brasília, DF.
MC no seu gabinete CEPLAC 1981 A.jpg

De 1979 a 1985, Marcelo Câmara foi Coordenador

de Comunicação Social da CEPLAC. Na foto, o jornalista

em seu gabinete de trabalho,

na Secretari-Geral da instituição, em Brasília, DF.

(Foto Roosevelt Pinheiro - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Sistema de Comunicação Social da CEPLAC - SICOM.

    Concepção, autoria e execução do primeiro modelo de Administração sistêmica da Comunicação Social

    da área pública no Brasil (1979-1985). Trabalho editado pela CEPLAC, Brasília, 1981.

MC entrevista Delfim 7.21 A.jpg

Sede da CEPLAC, Brasília, julho de 1979. Marcelo Câmara, Assessor de Comunicação Social

da Secretária-Geral, entrevista Delfim Netto, Ministro da Agricultura e Abastecimento.

(Foto: Roosevelt Pinheiro - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Assessor de Comunicação Social da Secretaria Geral da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira –     CEPLAC (1979-85)Coordenador Nacional do Sistema de Comunicação Social da CEPLAC (1981-5)

     e Assessor Parlamentar da CEPLAC no Congresso Nacional (1983-5).

 

  • II Encontro dos Chefes de Setores de Comunicação Social das DRTs

    Autor do Documento de Diagnóstico.

    Análise e Propostas de Trabalho p/ Desenvolvimento dos Serviços de Imprensa.

     Brasília, agosto de 1978.

 

  • Programa de trabalho aos Setores de Imprensa das Delegacias Regionais do Trabalho.

    Autor do trabalho destinado à  Reunião dos Delegados Regionais do Trabalho.

    Porto Alegre, RS, julho de 1978.

   

  • Assessor de Imprensa do Ministro de Estado do Trabalho, Brasília, 1978-9.

 

  • Autor do Plano de Trabalho – Programas, Projetos e Ações

    da Coordenadoria de Comunicação Social,                    

    do Ministério do Trabalho para o exercício de 1978.

    Gabinete do Ministro de Estado do Trabalho, Brasília, dezembro, 1977.

 

  • Assessor Especial p/ Comunicação Social do Ministro de Estado do Trabalho, Brasília, 1977-8.

 

  • Um jornal para o MDB.

    Um veículo de Comunicação Social para o Movimento Democrático Brasileiro – MDB,

    Diretório de Niterói, RJ. Concepção e autoria do projeto. Dezembro de 1976.

 

  • Revista Fluminense de Folclore.

    Periódico especializado na publicação de artigos, pesquisas e ensaios

    sobre o Folclore do Estado do Rio de Janeiro.

    Redator e Secretário Editorial. Niterói, 1974-5.

 

  • Trabalhos de Redação Publicitária (campanhas e anúncios avulsos)

     para a Emil Propaganda Ltda., em Niterói, 1972-3.

 

  • Criador, redator e editor do pasquim apócrifo de Humor A Pulga,

     que circulou na Faculdade de Direito da UFF, de 1968 a 1972.

_________________________________________________________________________________________________________________

MISSÃO NO EXTERIOR

 

Representante do Brasil na 50. Internationale Grüne Woche

(50ª Semana Verde de Berlim), Alemanha,

realizando o primeiro trabalho oficial do Brasil,

de divulgação e promoção econômica e cultural do Cacau brasileiro no exterior.

Chefe da Missão e Relações Públicas. Jan/fev 1985.

 

Cartão de visita Alemanha 1985.jpg

Cartão profissional do Representante do Brasil na 50ª Semana Verde de Berlim, em 1985:

Coordenador de Comunicação Social e Assessor Parlamentar da CEPLAC.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

Escreveu, para o evento, o texto em português, e editou a revista Kakao Reichtum Brasiliens,

publicação traduzida por Edith Nortrud de Almeida, a cores, com fotos,

distribuída aos públicos alemão, austríaco e suíço.

E concebeu os paineis, também em alemão, da exposição de imagens, textos e produtos

da economia cacaueira, instalados no espaço do Brasil na 50ªSemana Verde de Berlim.

Cacau Riqueza Brasileira: pela primeira vez, um panorama sócioeconômico e cultural,

com textos e imagens do cacau brasileiro apresentado aos empresários, investidores

e importadores europeus,  bem como a milhares de consumidores

que visitaram a  50ª  Semana Verde de Berlim, em 1985.

(Acervo Marcelo Câmara)

Kakao Reichtum Brasiliens 1985 colofão.jpg

Na última página da revista Kakao Reichtum Brasilien,

a marca da CEPLAC com o seu slogan ein guter Weg  (Um bom caminho),

assumindo o primeiro trabalho de divulgação do cacau brasileiro no exterior.

E a borboleta da EMBRATUR convida: Flieg nach Brasilien (Voe para o Brasil) 

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

MC na Semana Verde com intérprete 1.1985.jpg

Berlim, janeiro de 1985: Marcelo Câmara no stand

da CEPLAC na Grüne Woche, com a interprete

bilíngue, que o auxiliou no atendimento ao público

alemão, austríaco e suíco.

(Acervo Marcelo Câmara)

____________________________________________________________________________________________________

Grüne Woche stand CEPLAC  1.85.jpg

Kakao Brasilianischer Reichtum.

A TV alemã divulga a exposição de paineis

com fotos. legendas e textos informativos;

os frutos e seus derivados,

geleia e doce de cacau, e o chocolate caseiro.

(Acervo Marcelo Câmara)

MC em frente Parlamento alemão 1.85.jpg

Berlim, janeiro 1985. Marcelo Câmara visita o Parlamento da Alemanha Ocidental.

(Acervo Marcelo Câmara)

MC em frente Potão de Brandemburgo.jpg

Marcelo Câmara no histórico Portão de Brandemburgo, em Berlim.

(Acervo Marcelo Câmara)

_____________________________________________________________________________________________________

 

Assessoria de Imprensa

para os seguintes eventos

empresas, instituições

e personalidades

 

 

  • Depois da tempestade (Caravansarai), de Zezito Freire. Lançamento do livro. 2005.

•   Imaginarte - estúdio de papelaria, cartonagem e encadernação, em duas oportunidades:

    em 2002 para divulgação da empresa e em 2003 pela participação dela na Bienal do Livro, Rio de Janeiro, RJ.

•   Garapa Doida, primeira loja de cachaças da cidade do Rio de Janeiro, RJ, de 1997 a 2004.

•   Ilha Verde - Consultoria Comércio e Serviços Culturais, empresa de propriedade e dirigida por Marcelo Câmara,      de 2000 a 2006; para todas as suas atividades.

•   Confraria do Copo Furado, para todas as suas atividades sociais e culturais, de 1994 a 1997, Rio de Janeiro, RJ.

•   Deputado federal Jorge Leite (PMDB-RJ) sobre sua posse na Câmara dos Deputados, Brasília, DF, 1983.

     (Marcelo Câmara, sobre o fato, obteve: as primeiras páginas dos dois jornais de Brasilia, Correio Braziliense e Jornal de                    Brasília;; reportagem no Jornal Nacional, da Rede Globo; e entrevista com o Deputado no programa Bom Dia Brasil, em rede            nacional; e farto noticiário sobre a posse na Imprensa do Estado do Rio de Janeiro e do País.)

•   Elos Clube de Brasília, DF, filiado ao Elos Internacional da Comunidade Lusíada, (1982-3).

•   Associação dos Funcionários da Ceplac - Brasília, DF, 1982.

  • Semana Nacional do Cooperativismo / 1º Encontro de Cooperativas Agropecuárias de II Grau.

    Membro da Comissão de Imprensa. Ilhéus, BA, junho de 1891.

•   Johnny Alf, show musical, Teatro Alvorada, Niterói, RJ, março de 1974.

•   I Festival Fluminense do Folclore, Niterói, RJ, 1974.

 

    Todos os seus trabalhos profissionais de jornalista, escritor, editor e consultor cultural, a partir de 1973,

    inclusive os lançamentos dos livros de sua autoria, receberam a sua Assessoria de Imprensa,

    complementariamente ao trabalho das editoras.               

_________________________________________________________________________________________________________________

 

 

Participação em filmes, vídeos,

documentários e programas.

Principais entrevistas concedidas

e depoimentos prestados.

(cinema, tv, vídeo, rádio, mídia impressa, Internet, escolas e universidades)

 

 

 

A partir de 1973, na sua carreira como profissional da Comunicação e da Cultura, prestou dezenas de depoimentos e  concedeu centenas de entrevistas a emissoras de rádio e TV, de vários Estados, em rede nacional,

e, também, a cineastas, diretores de vídeo, pesquisadores, estudantes, mestrandos e doutorandos de pós-graduação universitária, empresários, sobre os temas que estuda e sobre os quais publica,

com destaque para os seguintes:

          

 

  • Newton Mendonça e a Bossa Nova. Depoimento à Rede Brasil de Televisão, Ipanema, Rio de Janeiro, 2019. 

 

  • A atratividade da cachaça em relação ao turismo gastronômico em São Paulo.

    Dissertação de Denys Rodrigues Mascarini e Maria Camila Silva, Trabalho de Conclusão de Curso de Tecnologia      em Gestão de Turismo, do Centro Paula Souza – FATEC, São Paulo, SP, junho de 2015.

    Principal fonte.

 

  • Darcy Ribeiro, Senador da República, no filme O Brasil de Darcy Ribeiro, de Ana Maria Magalhães,                            documentário de longa metragem, de 2014, por ter sido, na condição de Consultor Legislativo do

    Senado Federal, seu assessor parlamentar e político, editor e amigo. Depoimento.

 

  • Bossa Sempre Nova. Depoimento sobre Newton Mendonça à série de programas , da Rede Brasil de Televisão,        em comemoração aos 50 anos da Bossa Nova, Praia de Copacabana, Rio de Janeiro, RJ, setembro de 2008.              Depoimento.

 

  • Estrada Real da Cachaça. Depoimento no documentário longa-metragem , de Pedro Urano (Grupo Novo de                     Cinema e TV, 2008). Ao final da estreia do filme que marcou a entrada, no cirucuito comerical do País, do                      documentário, Marcelo Câmara fez uma palestra aos A Cachaça na História e na Cultura Brasileiras, palestra ao      final da sessão que marcou a entrada, no circuito comercial do País, do documentário,  no Cine Joia, em                    Copacabana, Rio de Janeiro, RJ, em 21.6.2011. O filme, teve Marcelo Câmara não apenas como a sua principal        fonte de informações, mas, também, como um dos seus principais narradores, em vários momentos. O                      documentário conquistou o prêmio de “Melhor Documentário” no Festival do Rio 2008 e do Festival de Mar del          Plata 2008 e selecionado em diversos festivais nas Américas e na Europa.

 

  • Bate-papo UOL. Conversa com internautas no canal , do site http://estilo.uol.com.br/, sobre o

    O Universo Cultural e Econômico da cachaça (29.12.2006).

    

•   O coração da cana. Entrevista para o vídeo-documentário, de Leandro Baptista (Rio de Janeiro, RJ, 2006)

 

•   Marvada Pinga Cachaça Imaculada. Principal depoimento no pingomentário longa-metragem ,

    de Léa Zagury e Alejandro Gedeón (Porticus Comunicações, Rio de Janeiro, RJ, 2006).

 

•   Programa Especial sobre Cachaça programa Sala de Notícias. Entrevista para o Canal Futura.

    (Rio de Janeiro, RJ, 2005)

 

•    Programa Ao ponto. Sobre os prazeres e os perigos do álcool.

     Participou como convidado especial do Programa apresentado pelo médico Jairo Bouer,

     em rede nacional, pelo Canal Futura, transmitido duas vezes em 2006, (Rio de Janeiro, RJ).

 

•   Coisa mais linda – Histórias e Casos da Bossa Nova, filme longa-metragem de Paulo Thiago.

     Depoimento sobre a vida e a música de Newton Mendonça e sua importância

     na estética e no tempo mais importante do gênero. (Rio de Janeiro, 2005).

 

  • Cachaça também é literatura. Entrevista a Ceres Vidal e B. Léza para a Artiletra

    (revista de Educação, Ciência e Cultura) a mais importante de Cabo Verde, África (2005).

 

  •  Cachaça – uma dose de Brasil, vídeo-documentário, de Tatiani Costa e Andréia Benite.

      Depoimento principal do vídeo (Rio de Janeiro, RJ / Araraquara, SP, 2005).

 

•    Unidos beberemos! e Um xiita da cachaça, títulos das entrevistas concedidas a Cláudio Henrique

      para o site de notícias No mínimo. (Rio de Janeiro, RJ, 2004)

 

•    Programa do Jô. Entrevista a Jô Soares no , na Rede Globo de Televisão, a 7.10.2004,

     sobre a 1ª edição do livro de sua autoria Cachaça – Prazer Brasileiro (Mauad, Rio, 2004)

     e o seu trabalho de Cachaçólogo, Pingófilo e Degustador Profissional de Cachaças.

     Numa prova cega, acertou sete das oito marcas de cachaças que lhe foram oferecidas por Jô Soares.

     A entrevista foi a mais solicitada do ano, sendo reapresentada em fevereiro de 2005

     com o mesmo sucesso de audiência.

     (Veja a entrevista na íntegra clicando em ponto do rodapé desta página.)

MC e Jô 2004 foto 2.png

Marcelo Câmara e Jô Soares:

30 minutos de uma entrevista com reprise e recordes de audiência.

O Degustador Profissional bebeu, numa prova cega, oito Cachaças, quatro novas e quatro envelhecidas,

acertando o tipo, marca, produtor, local da produção, de sete delas.

(Imagem: Rede Globo - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Cachaça. Entrevista para o documentário, produção independente de Márcia Peltier,

     para a Rede Band de Televisão (Rio de Janeiro, RJ, 2002)

 

•   Caminhos cruzados – a vida e a música de Newton Mendonça. Título do seu terceiro livro

     (Mauad, Rio, 2001), quando do seu lançamento, tema de entrevista concedida, em rede nacional,

     a Sidney Rezende, da Rádio CBN do Rio de Janeiro, RJ, na 10ª Bienal do Livro (maio de 2001).

 

•   Ipanema de A a Z – Dicionário da vida ipanemense. Título do seu segundo livro,

    escrito em parceria com Mário Peixoto (Cohen, Rio, 1999),

    tema de entrevista concedida à revista Época, inserida na matéria

    Uma república chamada Ipanema, de Cláudio Henrique (Rio de Janeiro, RJ, 1999).

 

•   Cachaça. Personalidade central e principal consultor para o roteiro do vídeo-documentário,

    produzido e apresentado por Lúcia Veríssimo, para o programa Terra Brasilis,

    do canal GNT (Rio de Janeiro, RJ, 1997)

 

•   Cachaça. Personalidade central do documentário para a ZDF, segunda TV estatal alemã,

     veiculado na Alemanha, Áustria e Suíça (Rio de Janeiro, RJ, 1995).

 

•    O riso narcotiza a eterna angústia do homem. Entrevista, de página inteira, concedida a Celso Araújo,

     do Jornal  de Brasília, DF, sobre o seu trabalho como humorista profissional, quando estreava

     coluna semanal de Humor no diário da Capital Federal (Brasília, 1977).

 

•    Marcelo Câmara. Sobre o Festival Fluminense de Folclore, evento único do gênero

     realizado no Estado do Rio de Janeiro, assunto da entrevista, de página inteira,

     ao suplemento Pingo de Gente, de O Fluminense, Niterói, RJ, agosto de 1975.

 

•    A alma rica e desconhecida da Velha Província, entrevista a Thereza Jorge sobre o Folclore Fluminense,

     em O Globo, Rio de Janeiro, RJ, edição de 3.7.1975.

 

•    Folclore Fluminense, a extinção da cultura, entrevista à Reportagem do Jornal do Brasil,

     Rio de Janeiro, RJ, edição de 29.9.1974.

 

CULTURA

POLÍTICA

CONSULTORIA LEGISLATIVA,

POLÍTICA E PARLAMENTAR.

PROCESSO LEGISLATIVO

 

CRIAÇÃO, PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO.

 

LITERATURA, TEATRO, SHOWS,

MÚSICA POPULAR E ERUDITA,

PRODUÇÃO FONOGRÁFICA,

ARTES PLÁSTICAS, FOLCLORE,

CACHAÇOLOGIA

 

OBRAS E EVENTOS

CONSULTORIA CULTURAL E EMPRESARIAL

 

 

  • Casa da Cultura Câmara Torres, de Paraty, RJ.

     Luta, desde 2004, ininterruptamente, junto à Prefeitura Municipal de Paraty,

     à Câmara Municipal, ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e à Justiça,

     pela aplicação integral da Lei Municipal 1414, de 2004,

     que homenageou a memória de Câmara Torres,

     denominando, institucional e definitivamente, o referido Espaço Cultural Público Municipal.

     A LEI CONTINUA IGNORADA, NÃO CUMPRIDA, PELO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL DE PARATY.

 

  • Exportação, pela primeira vez, para os EUA, de uma Cachaça de Excelência Sensorial.

    Idealizador, coordenador do grupo exportador e consultor técnico, no Brasil e nos Estados Unidos,

    do processo de venda para o mercado norte-americano da Cachaça Augusta, do Engenho São Luiz,

    de Lençois Paulista, SP. São Paulo, maio de 2015.

 

  • Celebração dos 150 Anos do Maior dos Angrenses – Raul Pompeia volta à sua Terra

    Trasladação dos restos        mortais do escritor Raul Pompéia do Rio de Janeiro para Angra dos Reis.

     Projeto Cultural. Trabalho voluntário e gratuito de Marcelo Câmara,

     na condição de Membro Efetivo do Ateneu Angrense de Letras e Artes,

     para a Prefeitura e a Câmara Municipal de Angra dos Reis.

     Concepção e elaboração. Rio, RJ, 2013.​​​​​​

 

  • Consultoria Técnica Especializada - Análise Sensorial, com Laudos Técnicos,

    das Cachaças e Aguardentes mais consumidas no mercado brasileiro.

    Serviço prestado ao PROTESTE - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor,

    Rio de Janeiro, RJ, 2012.

 

  • Serviços de Consultoria Técnica Especializada em Cachaça.

    Elaboração de estudos e Plano de Negócio visando: criação de uma Cachaça; garrafa e embalagem

    para o produto, textos do rótulo e contrarrótulo; registro da marca e seu desenvolvimento;

    constituição e estruturação de uma empresa de engarrafamento e distribuição da bebida: perfil, características;      definição das instalações, equipamentos e materiais da planta industrial; planejamento de produção e venda;            estratégias de marketing, publicidade e divulgação.; criação e produção de vídeo de veiculação nacional

    para lançamento da Cachaça.

    Local da empresa: Paraná.

    Clientes: empreendedores Paulo Florencio da Silva, Rui Marcos Alvino de Souza e Claudio Aparecido Gonçalves.

    Rio de Janeiro, RJ, março de 2012.

 

  • Cursos de Formação Básica de Degustadores de Cachaças – Amador e Profissional.

    Criou, promoveu e ministrou esses cursos para cinco dezenas de pessoas do País e exterior,

    além de outros de Iniciação no Universo da Cachaça e do que trata da

    Cachaça na História e na Cultura Brasileira.

    Ipanema, 2011 e 2012.

 

  • Parque Newton Mendonça, movimento nacional criado em 2009 por Marcelo Câmara e liderado por ele,

    que, desde então, mobiliza grandes personalidades da Cultura Carioca e Brasileira,

    com o objetivo de dar o nome do genial pianista e compositor ao Parque da Bossa Nova,

    projeto de Jaime Lerner, a ser construído pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro,

    no bairro carioca do Leblon.

 

  • Caminhos Cruzados – a música de Newton Mendonça. Show com o músico e cantor Alan Vergueiro

    (sobrinho de Newton), o primeiro de caráter profissional e comercial realizado 48 anos após a morte do pianista      e compositor. Roteiro, texto, produção, direção e apresentação do espetáculo.

    Vinicius Show Bar, Ipanema, Rio, RJ, 8.4.2008.

 

  • Serviços de Consultoria Técnica Especializada em Cachaça.

     Do plantio da cana-de-açúcar à Análise Sensorial da bebida, com ou sem emissão de Laudo Técnico,

     passando pela elaboração de Planos de Negócio e Estratégias de Marketing, Divulgação, Exportação

     da bebida nacional, para dezenas de empresas e empreendedores de todo o País,

     e Importação do destilado brasileiro no Exterior.

     A partir de 1993.

​​​​​​

Caminhos cruzados show filipeta.jpg
  • Espaço Cultural Newton Perissé Duarte – ECOPED. Unidade de Estudo e Pesquisa de Línguas,

    destinada ao Liceu de Humanidades de Campos dos Goytacazes, RJ.

    Idealização e autoria do Projeto. Rio, 2008.

 

  • Concurso de Drinques do 20º Festival da Pinga de Paraty. Jurado. Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e           Esportes de Paraty, RJ, 2020.

 

  • Caminhos Cruzados – Cris Delanno canta Newton Mendonça (Ilha Verde / Albatroz), CD histórico, de vanguarda,      que lançou parte da obra de autoria exclusiva do mais importante compositor da Bossa Nova,

    primeiro e fundamental parceiro de Tom Jobim, bem como de músicas raras, quase desconhecidas,

    da dupla New- Tom. Produção musical, arranjos e participação em todas as faixas de Roberto Menescal.                    Idealização, pesquisa, autor  dos textos do encarte e produção executiva de Marcelo Câmara. Rio, 2002.

    O álbum foi considerado um dos “Melhores do Ano” pelo crítico e historiador Tárik de Souza,

    em balanço de 2002, do Jornal do Brasil e "talvez  o melhor de Cris Delanno”, na opinião de João Máximo,

    do jornal O Globo. Para a crítica e historiadora norte-americana Daniella Thompson "é um disco significativo não      só pelas raridades nele presentes", mas, também, por conter um livreto, "um valioso bônus". ​​​​​​​

CDs capas dos dois.png

                                                  Capa do CD não comercial                             Capa do CD produzido pela Ilha Verde e Albatroz

                                                  produzido pela Ilha Verde e a Albatroz         e distribuído no mercado pela Nikita

                                                                                                      (Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Uma garota de cinquenta anos. Cultura, História, Sociologia, Música. Projeto de comemoração

    dos 50 anos do Bar e Restaurante Garota de Ipanema (antigo Bar Veloso),

    uma dos mais famos e o mais fotografado do mundo. Concepção e elaboração.

    Rio de Janeiro, RJ, 2001.

 

  • Encontros, show musical com a cantora Geny Martins, que interrompeu, em 1961, uma promissora carreira,

    no início da consolidação da Bossa Nova, depois de fazer primeiras gravações de músicas

    de Newton Mendonça e Tom Jobim, e foi redescoberta por Marcelo Câmara.

    Produtor, autor do texto, roteiro, direção e apresentador do espetáculo.

    Casa Laura Alvim, Ipanema, Rio, 2000.

 

  • Ilha Verde – Consultoria Comércio e Projetos Culturais Ltda. Empresa cultural, sediada no Rio, RJ,

    que promoveu diversas atividades culturais. Fundador, proprietário e administrador. De 2000 a 2006,

    a empresa realizou trabalhos executivos, de planejamento e consultoria para empresas e instituições nas áreas        da Comunicação e da Cultura: Cachaçologia, Música Popular, Folclórica e Erudita; Produção Fonográfica,                    Publicidade/Propaganda, Literatura, Jornalismo, produção, direção e redação de Shows;  editoração e

    edição de livros; redação e revisão de textos; Comércio Digital etc.

Ilha Verde carimbo.jpg
  • Galeria dos Presidentes do TRE-RJ. Exposição permanente de fotografias dos Desembargadores

    que presidiram a Corte. Realizou a pesquisa histórica, elaborou a redação dos perfis e foi o apresentador na            solenidade de inauguração, conduzindo a cerimônia na sede do Tribunal, no Rio de Janeiro, em outubro de 1997.

 

  • A bênção, Newton Mendonça. Primeiro show sobre a vida e obra do pianista de vanguarda e genial compositor,        com os seus filhos, Fernando e Renato Mendonça, e Antônio Nastari. Autor do texto, direção e apresentação.            Toca do Vinicius. Ipanema, Rio, 1997.

 

  • Plano Diretor do Centro Cultural do TRE-RJ. História, Arquitetura, Planejamento, Política e Gestão Cultural

    do documento técnico, oficial, institucionalizado em Ato do Presidente da Corte, que resultou na criação do              Centro Cultural da Justiça Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro - Palácio da Cidadania, atualmente

    Centro Cultural da Justiça Eleitoral, do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, hoje em funcionamento

    no vetusto e histórico edifício da Rua Primeiro de Março, 42, tombado pelo Município, pelo Estado

   e pela União, localizado no Centro da Cidade do Rio de Janeiro. Concepção e elaboração do documento. 1997.

 

  • Memória é Vida. História e Cultura. Projeto cultural da Confraria do Copo Furado - CCF,

    que pretendia homenagear quinze ipanemenses, habitantes e amantes do bairro

    que se tornaram grandes personagens da Cultura Brasileira e “cidadãos do mundo”,

    de prestígio internacional. Receberam placas de bronze nos frontispícios de suas residências:

    Newton Mendonça, Antônio Carlos Jobim, Vinicius de Moraes e Rubem Braga.

    Criou e iniciou a execução do Projeto, em Ipanema, RJ, em 1996-7, interrompido por falta de patrocínio,

    quando ainda doze personalidades seriam homenageadas.

 

  • Homenagem aos 82 anos de nascimento de Vinicius de Moraes. Poesia e Música.

    Apresentador do evento e o autor da pesquisa e seleção de textos de poesia e prosa do poeta

    que construiu o recital na ocasião, feito pelo locutor Corrêa de Araújo e pelo ator Orlando Drummond.

    Presença dos membros da CCF, inclusive do Senador Saturnino Braga, que disse um longo poema de Vinicius.          Toca do Vinicius. Ipanema, Rio, RJ, 1995.

 

  • Criador das Normas e critérios sensoriais, categorias e condutas de natureza técnica e cultural

    para a  Degustação Profissional de Cachaças, hoje aplicadas universalmente. Rio, 1994.

     Desde então, como Cachaçólogo, Degustador de Cachaças e Consultor de Cachaças, dirigiu,

     em todo o País, centenas de Sessões de Degustação para empresas, instituições, personalidades e eventos,             na área pública e privada; presta serviços de ampla e diversificada Consultoria Técnica Especializada,                         econômica e cultural, no universo da Cachaça a dezenas de empresas (destilarias) do plantio da cana-de-açúcar       ao consumo da bebida brasileira, Incluindo a realização de Análises Sensoriais de dezenas de marcas,                       expedindo Laudos Técnicos.

 

  • Confraria do Copo Furado- CCF, primeiro e único sodalício cultural do mundo que reunia

    degustadores de Cachaça, e que realizou um trabalho de estudo, valorização, promoção

    e divulgação nacional e internacional da Cachaça, como genuína bebida nacional,

    produto e expressão da Cultura Brasileira.

    Idealizador, criador, organizador, primeiro e único presidente.

    Ipanema, Rio de Janeiro, RJ, 1994-7.

 

Carteirinha.jpg
MC CCF degustando 7.95.jpg

Ipanema, julho de 1995. Marcelo Câmara e parte do "patrimônio líquido" da Confraria do Copo Furado.

(Foto: Eduardo Pinto / Jornal Ipanema - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Plataforma eleitoral para a Cultura da candidatura de Leonel Brizola à Presidência da República em 1993.                Autor do programa.
MC com Brizola AFL 1993 B.jpg

No Senado e no Congresso Nacional,

ao assessorar Maurício Corrêa e Darcy Ribeiro,

o Consultor Legislativo Marcelo Câmara, indiretamente,

prestou serviços ao PDT e ao seu presidente, Leonel de Moura de Brizola.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

  • Como Consultor Legislativo do Senado Federal, foi assessor parlamentar e político exclusivo do Senador Darcy       Ribeiro, de janeiro de 1990 a maio de 1993, criador e editor com o Senador, da revista Carta' dos Senador Darcy       Ribeiro, e editor dos seus trabalhos de Darcy na Casa.
Niemeyr risca parede gabin Darcy 1992 compac.jpg

Em 1992, Marcelo Câmara assistiu ao arquiteto Oscar Niemeyr desenhar na parede do Gabinete de Darcy Ribeiro, no Senado,

alguns de seus principais projetos, no País e no mundo: a Universidade de Brasília; o Sambódromo, no Rio de Janeiro;

o Memorial da América Latina, em São Paulo; a Universidade de Constantin, na Argélia.

E escreveu: "“Para Darcy, meu irmão, que contribuiu definitivamente para todos esses projetos. Oscar”.

Os desenhos são tombados pelo Senado e protegidos por vidros, e o pincel atômico usado por Niemeyer está com Marcelo Câmara.

(Foto: Salu Parente - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

  • Cultura Afro-BrasileiraEspecialista e Consultor para esses assuntos no Senado Federal,

    no Congresso Nacional e junto ao Senador Abdias Nascimento, durante o afastamento de Darcy Ribeiro

    para ocupar a Secretária de Educação do RJ, em período que abrangeu meses de 1991 e 1992.

 

  • Política Cultural do Programa de Governo da Frente Popular (PDT, PSDB, PSB, PC do B e PV),

    encabeçada por Maurício Corrêa, que disputou as eleições no Distrito Federal em 1990.

    Autor do documento.

 

  • Membro da Confraria do Periódico de Cultura Letras Fluminenses, Niterói, 1989-90.

 

  • Fundação Claudio Santoro, de natureza cultural e âmbito internacional, hoje transformada na

    Associação Claudio Santoro, com sede em Brasília. Autor dos Estatutos constitutivos da Associação.

    Brasília, 1989-1990.

 

  • Teatro Nacional Claudio Santoro. Idealizou a homenagem, concebeu e minutou, no Senado Federal,

     a Proposição e o Parecer que a aprovou a Proposição, assessorou a tramitação

     e viabilizou a promulgação do Projeto de Lei que assim denominou

     o antigo Teatro Nacional de Brasília. Brasília, 1989.

 

  • Programação Nacional de Comemoração dos 70 Anos de Claudio Santoro,

    a pedido do próprio maestro e compositor. Autor do trabalho. Brasília, 1989.

 

  • Consultor e Redator de Textos, no Congresso Nacional, dos temas relativos ao

    Centenário da Abolição da Escravatura e para a criação da Fundação Cultural Palmares (1988).

 

  • Membro do Conselho Consultivo do Centenário da Abolição da Escravatura,

    por Ato do então Ministro da Cultura, Celso Furtado. Brasília, 1987.

 

  • Concebeu e minutou vários Projetos de Leis Complementares, que regulamentaram

    dispositivos constitucionais relativos à Cultura e a outros setores da vida brasileira (1988-1993).

 

  • Elaboração de Emendas ao Projeto de Constituição p/ os Deputados 

    Flávio Palmier da Veiga (PMDB-RJ) e Paulo Silva (PMDB-PI) , 

    a pedido dos Parlamentares. Assembleia Nacional Constituinte, Brasília, DF, 1987.

 

  • Único Consultor para Assuntos da Cultura do Senado Federal e do Congresso Nacional no período 1985-1993,      e da Assembleia Nacional Constituinte ANC (1987-8). Nesta, foi o autor exclusivo do Anteprojeto

    de Constituição para Cultura e desenvolveu, pela primeira vez no País, Tese sobre a Doutrina

    dos Direitos Culturais, que passou a fazer parte da Carta Magna, bem como introduziu na Constituição

    os conceitos de Bem e de Patrimônio Cultural Imaterial, que, hoje, permeia toda a legislação pertinente

    e o universo cultural brasileiro.Também, na ANC, foi um dos Assessores nas áreas da

    Educação, Direito Constitucional Comunicação Social.

 

  • Consultor do  Instituto de Pesquisa, Estudos e Assessoria do Congresso – IPEAC

    nos anos de 1985 e 1986, quando elaborou pronunciamentos, proposições legislativas, pareceres e estudos 

    para membros do Senado Federal e da Câmara dos Deputados.

 

  • Consultor Legislativo do Senado Federal (1985-2000), por concurso público de provas e títulos,

     realizado durante um ano na UnB, quando concorreram milhares de candidatos, sendo 75 aprovados,

     ficando entre os primeiros classificados. Membro do Grupo de Pronunciamentos,

     elaborando Discursos, Pareceres e Proposições Legislativas para todos os Senadores.

     nas áreas: Cultura, Cultura Brasileira, Direitos Culturais, Comunicação Social, História, Sociologia,                             Antropologia, Educação, Política, Cacau/Chocolate, Cachaça, Cultivos Culturais Perenes,

     Estado do Rio de Janeiro, Cidade do Rio de Janeiro, Baía da Ilha Grande, temas e assuntos gerais, entre outros.

     Assessorou, no Senado, a Bancada do Partido Democrático Trabalhista – PDT (1988-1993)

     e os Parlamentares pró- República e Presidencialismo no Plebiscito de 1993.

     Na Câmara, assessorou a Frente Parlamentar  Nacionalista (1988-1993).

     Atuou em diversas outras ações de Parlamentares nacionalistas e trabalhistas

     na Câmara Alta e no Congresso Nacional.

 

  • Uma política cultural para os Elos Clubes. Autor da tese aprovada no Encontro Internacional da entidade.                  Niterói, 1983.

 

  • Verde Vinho, filme, drama, produção luso-brasileira, direção de Manuel Gama, com Paulo Alexandre

     e Dionísio Azevedo. Responsável pelo lançamento em Brasília, 1983.

 

  • Diretor Cultural do Elos Clube de Brasília, filiado ao Elos Internacional da Comunidade Lusíada. 1982-3.
Elos Clube BSB envelope 1982 3.jpg
  • Membro Correspondente do Conselho Municipal de Cultura de Angra dos Reis, RJ, 1983-1985.

 

  • I Concurso Nacional Literário da COBAL/ Ministério da Agricultura. Presidente do Corpo de Jurados.

    Brasília, 1979.

 

  • Cineclube CEPLACCinema de Arte. Dirigido aos servidores da instituição. Criador e Administrador.

     Brasília, de 1979 a 1985.

 

  • Associação dos Funcionários da CEPLAC  em Brasília– AFC/BSB. Primeiro Diretor Cultural. Brasília, 1979-1985.

 

  • Galeria CEPLAC – Artes Plásticas. Espaço que divulgou e promoveu o trabalho de dezenas de artistas

     das regiões produtoras de cacau do País e de Brasília. Criador e administrador. Brasília, de 1979 a 1985.

 

     Como gestor cultural e marchand institucional, promoveu os trabalhos de artistas plásticos das regiões produtoras de cacau         do País, de jovens da Capital Federal, expondo, também, obras de nomes nacionalmente consagrados (Brasília, DF).

     No período, planejou, realizou e divulgou a arte de Rubico, Sante Scaldaferri, Emanuel Araújo, Nice Nascimento, Darlan Rosa,           Ralph Gehre, Benguela, Kennedy Bahia, Angela Bely, entre outros. No mesmo espaço, planejou, realizou e divulgou os                       lançamentos, na Capital Federal, dos livros:  Sila - uma cangaceira de Lampião, de Ilda Ribeiro de Souza e Israel Araújo Orrico,         e Canto da Boca, de Ana Castro.

 

MC Gerson Camata e Nice Galeria CEPLAC.jpg

Brasília, 1981. Na Galeria CEPLAC, da dir. p/esq.: Marcelo Câmara,

a artista capixaba Nice Nascimento Avanza e o Deputado Federal Gerson Camata (PMDB-ES).

(Foto: Roosevelt Pinheiro - Acervo Marcelo Câmara)

MC e Ana Castro Canto da Boca lançam 1983.jpg

Marcelo Câmara lançou o livro de poesia erótica Canto da Boca, da baiana Ana Castro,

em 1983, na Galeria CEPLAC, em Brasília. E, como Assessor de Imprensa do evento,

motivou a Rede Globo, que a entrevistou no programa Bom Dia Brasil, em  rede nacional. 

(Foto Roosevelt Pinheiro - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • I Festival da Música Popular de Bom Jardim, RJ, 1974. Integrante do Corpo de Jurados.

 

  • Ator profissional de Teatro, registrado e sindicalizado, c/ temporada de seis meses

    no Teatro Glaucio Gil, em Copacabana, e apresentações na Cidade do Rio de Janeiro

    e em vários municípios do Estado do Rio de Janeiro, com a peça Senhor Rei, Senhora Rainha,

    de Benjamin Santos, sob a direção do autor. 1974 e 1975.

 

  • Festival Fluminense de Folclore – Música, Dança e Folguedo.

    Primeiro e único evento cultural do gênero realizado no Estado do Rio de Janeiro,

    grande espetáculo de movimento, luzes e cores, aplaudido por cerca de 2 mil pessoas.

    Síntese representada pelos Municípios de Paraty, Angra dos Reis e Campos dos Goytacazes.

    Ginásio do Canto do Rio Futebol Clube, promovido pela Comissão Fluminense de Folclore,

    com o apoio da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Rio de Janeiro e da FLUMITUR.

    Concepção, pesquisa, planejamento, realização e apresentação. Niterói, agosto de 1974.

 

Dança das Fitas de Paraty IFFF 1974.jpg

Dança das Fitas, de Paraty, revivendo uma tradição ariana milenar,

celebrou o "culto à árvore", que renasce após o inverno.

(Foto: Revista Fluminense de Folclore - Acervo Marcelo Câmara)

 

Dança dos Velhos AR IFFF 1974.jpg

Dança dos Velhos, de Angra dos Reis, coreografia cômica, grotesca, de origem lusíada,

originalmente urbana, depois rural, faz uma crítica social das gerações.

(Foto: Revista Fluminense de Folclore - Acervo Marcelo Câmara)

Cordão Recreativo Carnavalesco Triunfo das Cores Campos  IFFF 1974.jpg

Dança do Fogo, (do Pajé ou de Guerra), apresentado pelo Cordão Recreativo Carnavalesco

Triunfo das Cores, de Campos dos Goytacazes, festejou a nacionalidade,

no encontro do nativo com o colonizador.

(Foto: Revista Fluminense de Folclore - Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

 

  • Johnny Alf. Show com o músico, cantor e compositor Johnny Alf.

    Produção e divulgação. Apoio: INDC/Prefeitura Municipal de Niterói.

    Teatro Alvorada, Niterói, 15.3.1974.

    Produtor.

Taxa OMB show 15.3.74.jpg

O produtor do show, Marcelo Câmara, recolheu, em nome de José Alfredo da Silva, o Johnny Alf,

a taxa devida à OMB pelo show em Niterói, quando o pianista, cantor e compositor

foi acompanhado por mais dois músicos, baixista e baterista.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Acorda, Ulisses. Show sobre a vida e obra de Johnny Alf. Concepção e autor do texto. Rio, 1974. Inédito.

 

  • Ator amador de teatro do Grupo de Teatro Dom Bosco (1961), do Colégio Salesiano Santa Rosa, Niterói, RJ,

    e do Grupo de Teatro da UFF (1972-4), primeiro e único grupo oficial da Universidade,

    sob a direção de Ronaldo Mendonça. Departamento de Difusão Cultural da UFF,

    c/ apresentações da peça Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna,

    em várias salas das cidades de Niterói, Rio de Janeiro e municípios do Estado do Rio de Janeiro,

    incluindo memorável apresentação na Igreja de N. Sa. do Rosário, em Paraty, RJ.

    (Na plateia, Paulo Autran e Maria Della Costa).

 

  • Um dos fundadores do Centro de Estudos Jurídicos e Sociais - CEJS, da Faculdade de Direito, da UFF,

     Em 1968, organizou Viagem de Estudos do CEJS a Paraty, RJ, a fim de investigar e registrar

     a realidade socioeconômica e cultural do Município Monumento Nacional. 

      Um Aviso da Marinha levou a Paraty e trouxe de volta ao Rio

     um grupo de universitários de Direito e de outras Faculdades da UFF. 

     

  • Coordenador da Representação de Paraty. Economia e Cultura na Feira da Bondade,

     promovida pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. Coordenador. Niterói, 1968.

 

  • Festival de Música Popular do Colégio Salesiano Santa Rosa. Niterói, RJ, 1965. Um dos organizadores.

 

__________________________________________________________________________________________________

 

 

MC aos 7 anos estreia no teatro no Pé Pequeno.jpg

1957: Marcelo Câmara, aos sete anos, estreia como ator

 no Grupo de Teatro Amador da Rua Miracema,

no Bairro do Pé Pequeno, em Niterói, RJ.

Entre os outros, estão Marco Antônio Leite de Siqueira

e Leila Martini de Siqueira, hoje advogados;

Maria Emília Amaral e João Carlos de Oliveira Lima, médicos.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

_________________________________________________________________________________________________________

REDAÇÃO

REVISÃO

COPYDESK

EDITORAÇÃO

EDIÇÃO

 

Concepção

Planejamento

Execução

 

AUTORIA DE PREFÁCIOS, APRESENTAÇÕES E ORELHAS

 

REVISÕES, COPYDESKS, EDITORAÇÕES E EDIÇÕES

​​​​

  • A fome globalizada, de Luiz Ferreira da Silva. Lliteratura, história ficcional construída sobre bases tecno-                    científicas (Agronomia, Economia, Sociologia, Política). Copydesk integral do texto da obra.

    Ed. Vizeu, Maringá, PR, 2019.

 

  • Degustador - Profissão Esperança, de Alaerte Barbosa.

    História, Cultura, Folclore, Técnica e Arte da Degustação

    do Café, Vinho, Cerveja, Cachaça, Uísque e Azeite.

    Revisão vernacular e de estilo de toda a obra e de conteúdo do capítulo relativo à Cachaça.

    Autor do Prefácio do livro.

    (Ed. Autografia, RJ, 2018)

 

  • Lopes Trovão - Uma voz contra o Império, de Camil Capaz. História e Política. 

    Revisão vernacular e de conteúdo da obra. Ed. do autor. Rio de Janeiro, RJ, 2010. 

 

  • SenyaSemiotyka – Spirituals, Imans e Porrilóquios, de Paulo Luís Barata. Poesia.

     Autor da orelha do livro. Livre Expressão Ed., SP, 2009.

 

  • Depois da Tempestade, de Zezito Freire. Romance. Revisor, assina as orelhas e quarta capa do livro.

    Ed. Caravansarai, Rio, 2007.

 

 

Depois da Tempestade Zezito cartão livro.jpg

O cartão da Caravansarai de promoção do romance reproduziu

o texto da quarta capa de autoria de Marcelo Câmara.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

  • Rio de Janeiro – O cotidiano carioca no Início do Século XX / Daily life at the start of the twentieth century,

    de Alberto A. Cohen e Samuel Gorberg. História e Sociologia. Consultoria editorial.

    Ed. AACohen, Rio, RJ, 2007.

 

  • O pianista que pensava, de Osvaldo Nunes Filho, c/ ilustrações de Millôr Fernandes e capa de Chico Caruso.            Pensamentos e Humor. Editor do livro, autor das orelhas e quarta capa, revisor e organizador da obra.

    Ed. Ilha Verde, Rio, 2004.

O pianista convite.jpg

A Ilha Verde, empresa cultural de Marcelo Câmara, editou a obra do músico e compositor Osvaldo Nunes Filho,

com ilustrações de Millôr Fernandes e capa de Chico Caruso.

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

  • Rio de Janeiro – ontem & hoje 2, de Alberto Cohen e Sergio A. Friedman. História. Copydesk.

    Ed. AACohen, Rio, RJ, 2003.

 

  • Ouvidor, a rua do Rio, de Alberto A. Cohen. História. Consultoria editorial e copydesk.

    Ed. AACohen, Rio, RJ, 2001.

 

  • Goles & Tragos. Folha de Pingofilia.

    Temas do universo sociocultural e econômico da cachaça, da Confraria do Copo Furado.

    Redação, revisão e editor. Rio de Janeiro, RJ, 1994-7.

 

  • A Comissão que Processou o Impeachment, de Élcio Álvares.

    Pesquisa, assessoria ao Autor, consultoria editorial, revisão e editor do livro.

    Ed. Senado Federal, Brasília, DF, 1994.

 

  • Posse de Darcy Ribeiro na Academia Brasileira de Letras - ABL, de Darcy Ribeiro,

    na Cadeira de Fagundes Varela. Assessoria ao autor, revisão e edição da oração de posse na ABL.

    Ed. Senado Federal, Brasília, DF, 1993.

 

  • Senado: Personagem & Instituição, de Maurício Corrêa. História do Senado Federal.

    Do Senado de Roma ao Senado Federal do Brasil.

    Pesquisa, assessoria ao Autor, consultoria editorial, revisão e editor do livro.

    Ed. Senado Federal, Brasília, 1993.

 

  • Vanguarda e Socialismo. Perfil biográfico de Lopes Trovão

     in Formas e Sistemas de Governo - República X  Monarquia - Presidencialismo X Parlamentarismo,

     Coletânea de Darcy Ribeiro, Vozes, Petrópolis, 1993.

 

  • A Lei da Educação, de Darcy Ribeiro. Editor. Ed. Senado Federal, Brasília, DF, 1992.

 

  • Tiradentes Estadista, do Senador Darcy Ribeiro. Revisor e editor do ensaio-conferência.

     Ed. Senado Federal, 1992.

 

  • Centenário do Nascimento de Pontes de Miranda, Pronunciamento de Maurício Corrêa

    em Sessão Solene do Senado Federal específica, transformado em publicação.

    Pesquisa, assessoria ao autor e consultoria editorial

    Ed. Senado Federal, Brasília, 1992.

 

  • Biblioteca Básica Brasileira- BBB.

    Com Darcy Ribeiro e Gerardo de Mello Mourão.

    Elaborou o projeto editorial e o convênio com o MEC,

    junto ao qual foi o Representante do Senado para a reedição da Coleção.

    Brasília, 1992-3, efetivada anos depois.

 

  • A luta Afro-Brasileira no Senado, de Abdias Nascimento. Assessoria Editorial ao autor.

    Ed. Senado Federal, Brasília, DF, 1991.

 

  • Carta’ do Senador Darcy Ribeiro.

     Criador e editor com Darcy Ribeiro, e colaborador da revista,

    considerada “a melhor publicação cultural do País”, de 1991 a 1993,

    edição do Senado Federal, durante o tempo que, como Consultor Legislativo do Senado Federal,

    foi Assessor Legislativo, Parlamentar e Político exclusivo, e Editor das obras do Professor no Senado Federal.

 

  • Editor das publicações Primeira Fala ao Senado e Segunda Fala ao Senado, de Darcy Ribeiro,

    Ed. Senado Federal, Brasília, DF, 1991-2.

 

  • Assessoria Editorial à obra As terras do cacau em Rondônia, de Frederico Monteiro Álvares Afonso, 

​​​​​​​    Senado Federal, Brasília, DF, 1986.                                                                  

 

  • CEPLAC à deriva (em defesa do cacau e sua gente), Deputado Antônio Osório.

    Assessoria ao Autor sobre o tema e Editoria do trabalho. Ed. Câmara dos Deputados, Brasília, DF, 1986.

 

  • Democracia Compromisso e Participação, do Senador Lomanto Júnior. Atividade parlamentar.

    Revisor do livro. Ed. Senado Federal. 1985.

 

  • Revisor de Textos Legais (linguagem e técnica legislativa), junto ao grupo de técnicos que criou

    a estrutura organizacional do novo Estado do Rio de Janeiro, após a fusão

    com o extinto Estado da Guanabara (Rio de Janeiro, RJ, 1975).

 

  • Paraty - Roteiro do Visitante, livro de Diuner Mello. História.

    Revisor do texto. Olímpica Graf. e Ed., 1ª ed., RJ, 1974.

 

  • Processo Penal - Anotações Práticas, livro de Rovane Tavares Guimarães.

    Copydesk, autor das orelhas e da quarta capa. Ed. Pallas, Rio de Janeiro, RJ, 1973.

_____________________________________________________________________________________________________________________________

Algumas inclusões de seus trabalhos em antologias.

Citações, reproduções, referências ao seu nome 

e a obras de sua autoria,

que serviram, também, de fonte importante

a outros intelectuais.

 

 

  • Fonte e referência no artigo

     A Função Democrática das Políticas Públicas

     e o Papel de Reforço da Cidadania do Controle do Poder Judiciário:

     Um Critério de Jusfundamentalidade Para Implementação Judicial dos Direitos Sociais,

     de Emerson Affonso da Costa Moura

     na Revista História Debates de Tendências

     Universidade de Passo Fundo – UPF, RS, mai/jul 2022.

 

  • Participação, com texto de sua autoria, no livro José Haroldo, o homem "visgado pelo cacau",

    de Luiz Ferreir da Silva e Lício de Almeida Fontes, Scortecci, SP, 2017.

 

  • Participação, com texto de sua autoria, no livro Tributo à antiga CEPLAC – instituição agrícola única,

     edição de Manoel Malheiros Tourinho e José Alexandre de Souza Menezes, Scortecci, SP, 2016.

 

  • Fonte principal de pesquisa e citações no fascículo nº 10 Newton Mendonça - O personagem oculto,

    de André Ciasca, da Coleção Bravo! 50 anos de Bossa Nova. Revista Bravo!,

    nº 134, out. 2008, Ed. Abril, São Paulo, SP.

 

  • Fonte de Eis aqui os Bossa-nova, de Zuza Homem de Mello, Martins Fontes, São Paulo, SP, 2008.

 

  • Fonte de Roberto Carlos em detalhes, de Paulo Cesar de Araújo, Planeta do Brasil, 2006.

 

  • Fonte do ensaio Arte e ofícios da cachaça moderna, de Fernando Valadares Novaes,

    in Cachaça alquimia brasileira, Repson Sinopec, 19 design Ed. Ltda., RJ, 2005.

 

  • O livro de sua autoria Cachaça - Prazer Brasileiro serviu de texto

    do vídeo-documentário Cachaça - uma dose de Brasil, de Tatiani Costa e Andréia Benite, Araraquara, SP, 2005.

 

  • Fonte de Ipanema de rua em rua, de Marilena Balsa. Ed. Univ. Estácio de Sá, Rio de Janeiro, RJ, 2005.

 

  •  Personagem da crônica Recado de Primavera, publicada por Zuenir Ventura no Jornal do Brasil (ed. 28.9.1996)       e, depois, incluída no livro Crônicas de um fim de século. Objetiva, Rio de Janeiro, RJ, 2004.

 

     A presença de Marcelo Câmara no texto de Zuenir deu-se em função de ele, criador e presidente de Confraria do Copo                      Furado, idealizara e executava o Projeto Memória é Vida, que naquele sábado, 21.9.1996, fixava na entrada do prédio da                  Rua Barão da Torre, 42, em Ipanema, onde está a célebre cobertura de Rubem Braga, uma placa de bronze identificando                  que ali viveu o maior cronista brasileiro do Século XX. Zuenir, presente no evento promovido por Marcelo, festejou a reunião            em sua coluna do jornal. Compareceram Tônia Carrero e Carlos Lyra,

      recepcionados por Roberto Braga, filho do homenageado.

Recado de Primavera Zuenir 3 colunas site MC.jpg

(Acervo Marcelo Câmara)

 

 

 

  • Citação no texto de Tárik de Souza no encarte do CD Princípios da Bossa (2 CDs),

     Universal Music, Rio de Janeiro, 2004.

 

  • Citação e referências no livro Tem mais samba - das raízes à eletrônica, de Tárik de Souza,

    Ed. 34, São Paulo, 2003. 

 

  • Epígrafe com versos de sua autoria do livro Ilhário - Roteiro lírico das ilhas de Angra dos Reis,

    de Camil Capaz, Ed. do autor, Rio de Janeiro, RJ, 2003. 

 

  • Fonte de A Era dos Festivais - Uma Parábola, de Zuza Homem de Mello Editora 34, São Paulo, SP, 2002. 

 

  •  Citação no texto de Cariê Lindenberg no encarte do CD Esperei por você - Cariê Lindenberg,

     CD Point, Vitória, ES, 2002. 

 

  • Autor do texto Humanismo e Sabedoria incluído em O Amigo do Cacau - Baú de Recordações,

    de José Haroldo Castro Vieira, Edições GRD, São Paulo, 1999. 

 

  • Autor de Vanguarda e Socialismo, perfil biográfico de Lopes Trovão, in Formas e Sistemas de Governo -                    República X Monarquia - Presidencialismo X Parlamentarismo, Coletânea de Darcy Ribeiro,

    Ed. Vozes, Petrópolis, 1993. 

 

  •  Citação em Aspectos Físicos, Econômicos e Políticos do Chocolate Brasileiro 1976-1984,

     Série Estudos Econômicos, vol nº 10, de Hélio Estrela Barroco e José Alexandre de S. Menezes,

     Ceplac, Brasília, 1987.

 

  •  Citação em Consumo de Chocolate no Brasil, de Hélio Estrela Barroco,

     Série Estudos Econômicos, vol. nº 6, Ceplac, Ilhéus, Bahia, 1984.

 

  • Fonte para a obra Ceplac/Cacau Ano 25, livro editado pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a                   Agricultura - IICA, Escritório no Brasil, na condição de Coordenador Nacional de Comunicação Social

     e Assessor de Comunicação Social, da Secretaria Geral da CEPLAC, Brasília, 1982.

 

     A partir de 1994, diversas mídias do país e do exterior citam e referenciam seus trabalhos - livros ensaios,                 escritos, realizações, pensamento, propostas - acerca de áreas de conhecimento nos quais produz

     e temas aos quais se dedica. Igualmente, seus trabalhos estão em obras de outros intelectuais e em                           Trabalhos de Graduação, Dissertações e Teses de Pós-Graduação em Universidades.

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Verbetes e referências em Enciclopédias e Dicionários

 

 

  • Encyclopedia of Latin American Theater de Eladio Cortés e Mirta Barrea-Marlys, Greenwood Publishing Group,          EUA, 2003. Na Bibliography do verbete Nelson Rodrigues, é referenciado o ensaio O moralista Nelson                          Rodrigues,  de sua autoria, publicado no jornal O Fluminense em 10.12.1973.
Encyclopedia of Latin American Theater capa e refer MC.png

                                Capa da edição de 2003                                                                 (Imagens: Google Books - Acervo Marcelo Câmara)                                                

                     

 

  • Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira. Verbete. Na Internet, http://www.dicionariompb.com.br e,        em livro, Dicionário Houaiss Ilustrado – Música Popular Brasileira, Paracatu Ed., 2006, Rio, RJ.

 

  • As vidas que dão vida à casa centenária. Obra comemorativa do Centenário da Academia Fluminense de Letras      – AFL (1917=2017). Perfil intelectual do Acadêmico Marcelo Câmara. Ed. AFL no seu 102º aniversário. Niterói,          RJ, 2019.

Sodalícios Culturais aos quais pertence

 

  • Membro da Classe de Letras da Academia Fluminense de Letras, onde ocupa a Cadeira 37,

        patronímica de Raul Pompeia, Niterói, RJ.

  • Membro Efetivo do Ateneu Angrense de Letras e Artes, ocupante da Cadeira nº 1,

        patronímica de Raul Pompeia, Angra dos Reis, RJ.

  • Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, Natal.
  • Membro Efetivo da Sociedade Brasileira Frederico Chopin, Brasília, DF.
  • Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Eslavística, São Paulo, SP.
  • Membro Efetivo da Associação dos Escritores, Pesquisadores e Divulgadores

        de Música Popular Brasileira do Rio de Janeiro, Rio, RJ.

 

_____________________________________________________________________________________________________________________________

 

Títulos, Condecorações, Prêmios e Homenagens

 

  • Título de Cidadão Paratyense, Câmara Municipal de Paraty.
  • Ordem do Mérito Araribóia, Prefeitura Municipal de Niterói, RJ.
  • Medalha do Mérito Cultural Brasil dos Reis, Câmara Municipal de Angra dos Reis, RJ.
  • Medalha do Mérito Fagundes Varela, do Município de Rio Claro, RJ.
  • Colar de Cunhambebe, do Ateneu Angrense de Letras e Artes, 1976.
  • Homenageado no I Encontro do Angrense Ausente, Comemoração dos 478 anos da Descoberta de Angra dos          Reis, RJ, Prefeitura Municipal, janeiro e outubro 1980.
  • Diploma de Inscrito no Livro de Ouro do Terceiro Centenário da Vila de N. Sa. dos Remédios de Parati,

        em 8 de setembro de 1967.

  • Amigo do Samba, do Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos da Vila, Niterói, RJ, 1966.

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Em 1989, conquistou o 2º Prêmio do Concurso Nacional de Poesia Brasil dos Reis,

Angra dos Reis, RJ, com o poema O menino e a ilha, publicado in IV Concurso de Poesia Brasil dos Reis

(Ed. Ateneu Angrense de Letras e Artes – AALA, Angra dos Reis, RJ, 1989), e na Revista do AALA.

Na área da Cultura, Comunicação, Artes, Política, Direito, Justiça,

Administração e Economia, trabalhou e conviveu com:

 

Abdias Nascimento, Ana Augusta Rodrigues, Anselmo Macieira, Antonio Theodoro de Magalhães Barros, Arnaldo Prieto, Artur da Távola, Bautista Vidal, Bernardo Cabral, Claudio Santoro, Cris Delanno, Darcy Ribeiro, Dayl de Almeida, Emmanuel de Bragança Macedo Soares, Gerardo Mello Mourão, João Calmon, Johnny Alf, José Augusto da Câmara Torres, José Haroldo Castro Vieira, Leonel de Moura Brizola, Luiz Henrique Steel Filho, Maurício Corrêa, Nilson Lage, Roberto Menescal, Rovane Tavares Guimarães, Rubens Falcão, Saramago Pinheiro, entre outras ilustres personalidades da Vida Brasileira.

 

_________________________________________________________________________________________________________________